Drew Angerer

O caso Harvey Weinstein deixou o mundo chocado depois de mais de 90 mulheres que trabalham na indústria cinematográfica, incluindo prestigiadas atrizes, acusarem o famoso ex-produtor de Hollywood de abuso e assédio sexual. Apenas cinco das acusações chegaram a tribunal, sendo que Harvey foi considerado culpado por dois crimes sexuais.

Harvey foi condenado a 23 anos de prisão no passado dia 11 de março. Agora, os seus advogados pedem ao Supremo Tribunal de Nova Iorque que permita que o antigo produtor saia da prisão mediante pagamento de uma fiança de 2 milhões de dólares.

De acordo com o Page Six, foram entregues documentos pelo advogado para destacar a longa carreira de Harvey no cinema para apoiar o seu pedido, explicando ainda que o seu cliente contribuiu para aumentar a consciencialização sobre a injustiça racial com os filmes 'O Mordomo da Casa Branca' (2013) e 'Mandela: Longo Caminho para a Liberdade' (2014), e descrevendo Weinstein como uma “força na filantropia” por ter feito doações a instituições de caridade.

>> Acusado de abuso e assédio sexual, Harvey Weinstein aparece de andarilho em tribunal

O advogado ainda apontou para o facto do ex-produtor sofrer de "condições médicas sérias" para as quais precisa tomar 20 medicamentos diferentes.

MediaPunch/Bauer-Griffin