Rainha Isabel II e príncipe Philip

Rainha Isabel II e príncipe Philip

Antony Jones

Ser membro da família real não é uma tarefa fácil, como alguns podem pensar, pois exige muito trabalho e muito sacrifício pessoal. O príncipe Filipe que o diga.

O marido da rainha Isabel II teve que lutar muito para se adaptar à nova vida como membro da realeza que o obrigou inclusive a desistir da carreira na marinha para começar o trabalho na consorte da esposa.

De acordo com o novo livro 'Long Live the Queen!', escrito por Bryan Kozlowski, o príncipe Filipe chegou mesmo a adoecer devido às dificuldades em adaptar-se aos deveres reais. "Começando a vida real com um propósito enérgico, desfrutando de uma carreira gratificante e de rápido avanço na Marinha Real, a morte prematura do rei redirecionou drasticamente esses planos", lê-se na obra.

Bryan explica que o avô do príncipe William e príncipe Harry ficou muito deprimido porque a sua vida naval foi colocada em espera e não considerava o seu cargo como consorte da rainha extremamente importante. "No seu primeiro ano como consorte, ele [o príncipe Filipe] adoeceu com um caso grave de icterícia - uma condição frequentemente associada a stress e depressão - e passou três semanas agonizantes num quarto escuro a tentar recuperar."

Apesar do seu casamento ter enfrentado algumas dificuldades, o príncipe Filipe acabou por encontrar o seu ritmo no novo papel como um funcionário da realeza a tempo inteiro, desempenhando funções reais, e em agosto de 2017 aposentou-se do atos oficiais, aos 96 anos.