Georges De Keerle

A princesa Diana não teve uma infância muito feliz como o abandono da mãe e o divórcio dos pais, mas a sua morte emocionou o mundo como nenhuma outra por "Lady Di" ser considerada uma mãe dedicada e defensora de causas humanitárias, demonstrando empatia com os mais desfavorecidos.

Já o seu ex-marido, o príncipe Carlos, também não teve uma infância simpática, mas ao contrário da princesa do povo, tem uma atitude mais fria. De acordo com uma nova biografia, Prince Philip Revealed, Diana terá revelado que a única coisa que o seu ex-marido "aprendeu sobre o amor foi a apertar as mãos".

A escritora da biografia, Ingrid Seward, diz que Diana lhe contou sobre a infância pouco afectuosa do príncipe Carlos com os pais, a rainha Isabel II e o príncipe Filipe. "Diana calculou que se Carlos tivesse sido criado da maneira normal, ele teria sido mais capaz de lidar com as emoções dele e dela", explicou.

Segundo Diana, eram as babysitters do ex-marido que demonstravam afeto por ele, em vez dos pais. "Eles não se abraçavam, eles apertavam as mãos", disse. A ausência dos pais na infância dos filhos também terá tido um impacto negativo na vida do príncipe Carlos.