António Cordeiro

António Cordeiro

SIC

Quatro anos depois do diagnóstico trágico que havia de ditar o fim da sua carreira como ator e alterar toda a sua vida, António Cordeiro depende hoje dos cuidados de quem o rodeia. Desde o dia em que recebeu a notícia até há poucos meses foi a sua mulher, Helena Almeida, quem cuidou dele, mas pouco antes do início da Covid-19 decidiu colocá-lo no lar da Casa do Artista para poder ela própria descansar um pouco e tratar dos seus problemas de saúde.

“Eu não aguentava mais”, confessou à TV7 Dias depois de relatar dois episódios em que viu o marido quase a sufocar com comida e teve dificuldade em ajudá-lo. “Custou-me muito colocar o António na Casa do Artista, quando digo muito, é muito mesmo. Foi das decisões mais difíceis da minha vida!”, explicou à mesma publicação no final de março, garantindo que a ideia inicial era apenas ter “duas ou três semanas” para si. Contudo, este prazo terá de ser alargado devido à pandemia. “Quando for seguro quero trazê-lo para casa”, adiantou na altura.

Uma vez que isso ainda não é possível, Helena Almeida juntou-se esta segunda-feira, 18 de maio, às funcionárias da residência para celebrar o 61.º aniversário do marido, visivelmente debilitado pela doença, como pode confirmar-se numa fotografia divulgada por José Raposo, que deu mais pormenores sobre o estado do amigo e colega nas redes sociais.

Helena Almeida e António Cordeiro

Helena Almeida e António Cordeiro

Reprodução Facebook, DR

“Dois Antónios partilham um quarto na Casa do Artista. Sou amigo dos dois. Eles são amigos. São actores. São o ANTÓNIO ÉVORA e o ANTÓNIO CORDEIRO. O António Cordeiro na 2.ª fez anos, e na Casa do Artista festejou-se o acontecimento entre as assistentes, o António Évora e a Lena, esposa do Cordeiro. A foto foi tirada pelo Évora, que me ligou feliz quando o António deu entrada na Casa do Artista –‘sabes que o Cordeiro vem para a Casa? E imagina onde fica - no meu quarto! Estou feliz por poder cuidar de um amigo que necessita de apoio!’. O António Cordeiro sofre de uma doença rara que o tornou completamente dependente de outros (a Lena, seu amor de sempre, que o diga...). A isto chama-se amizade. A isto chama-se ser-se um bom ser humano. Porque gosto de ambos, estou feliz!”, escreveu José Raposo no Instagram.

De referir ainda que António Cordeiro falou pela primeira vez da sua doença no programa Alta Definição, da SIC. Para rever clique aqui!