Marega

Marega

MIGUEL RIOPA

Este domingo, dia 16 de fevereiro, aconteceu pela primeira vez na Primeira Liga um caso mais evidente de racismo. Tudo aconteceu durante uma partida entre Vitória SC e FC Porto (1-2) em que um dos jogadores, Marega, pediu para sair do jogo aos 69 minutos. Razão: estava a ser alvo de cânticos e insultos racistas vindos das bancadas do estádio D. Afonso Henriques.

O jogador do FC Porto acabou mesmo por abandonar o jogo e deixou ainda um recado em campo e na sua página de Instagram. "Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas... vá-se "lixar". E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem dado um cartão amarelo porque defendo a minha cor de pele. Espero nunca mais encontrá-lo num campo de futebol. Você é uma vergonha", escreveu na legenda da publicação. Na imagem pode-se ver Marega a reagir aos comentários racistas e a apontar os dois dedos do meio aos adeptos da equipa da casa.

A notícia está a correr o mundo como pode ver na SIC Noticias e são várias as figuras públicas a recorrer às redes sociais para mostrarem apoio ao avançado maliano.

"Por favor sejamos todos dignos da imensa coragem de Marega. Não permitamos que dourem a pílula, não aceitemos discursos ocos, desculpabilizantes, negacionistas. Acredito que muita gente, por essas casas fora, abandonou aquele campo de mão dada com Marega em total indignação e solidariedade com o ataque de que foi alvo. Tudo farei para dar visibilidade à luta contra o racismo, venha ele de onde vier. Todos juntos faremos a diferença", afirmou Rita Ferro Rodrigues no Instagram.

Instagram

"O que aconteceu hoje em Guimarães é abjecto, e deve ser condenado por adeptos e dirigentes de todos os clubes. Um abraço ao Marega", disse o locutor Pedro Ribeiro.

Instagram

Carolina Deslandes também reagiu com revolta à situação. "Vão-se 'lixar'! Quando dizem que o racismo não existe, quando dizem que em Portugal e no Mundo não é gritante a desigualdade e a humilhação! [...] quando em vez de punirem uma claque e um clube penalizam um jogador que se está a revoltar e a não aceitar um comportamento inaceitável. Tenho vergonha destas pessoas e desta arbitragem. [...] quando não dão a voz a uma causa só porque não vos toca a vocês. A empatia é o motor da mudança. Não é só o ódio de quem grita que é o problema, é o silêncio de quem assiste. Devemos exigir todos que a Liga tome uma atitude. Marega, é preciso ter balls para não deixar que a nossa profissão se sobreponha à nossa dignidade. Estamos contigo", referiu.

Instagram