Liam Neeson fez manchete na imprensa internacional depois de confessar ao The Independent que na sequência da violação de uma amiga pensou em vingar-se: “Durante uma semana, vagueava para cima e para baixo com um bastão, na esperança de ser abordado por alguém. Na esperança – e tenho vergonha de o admitir – que um ‘sacana de um negro’ saísse de um bar e se metesse comigo por uma razão qualquer, percebe? Só para que pudesse matá-lo.

As declarações do ator, de 66 anos, não caíram bem e Liam Neeson está a ser severamente criticado por afirmações racistas.

Entretanto no programa Good Morning America, Neeson explicou que não é racista e que na altura pretendia apenas vingar-se pela amiga: "Não sou racista. Eu nasci no norte da Irlanda. Com os problemas. Nos anos 60, 70 e 80. Havia uma guerra a acontecer nessa zona. Eu conhecia pessoas envolvidas no conflito. A intolerância. Um Católico era morto, no dia a seguir era um Protestante. Eu cresci cercado, mas nunca fiz parte" justificou-se.

Sobre o episódio o irlandês revelou que "felizmente nada aconteceu" e que na altura sentia que estava a defender a honra da sua amiga e que não se tratava da cor da pele.

“Se ela tivesse dito que era Irlandês, escocês, britânico, da lituânia… Sei que me iria sentir da mesma maneira. Estava a tentar mostrar-lhe honra e que podia proteger um amigo de uma coisa terrível como uma violação” afirmou.