Quase que saboreou a vitória, mas o prémio de melhor chef de Portugal foi atribuído a Francisca Dias (leia a entrevista exclusiva aqui). Lucas Fernandes, um dos rostos mais falados e carismáticos do Hell’s Kitchen Portugal , esteve à conversa com a SIC.PT no Hell’s Table, a sua nova experiência de degustação em Vila Verde, Braga, e comentou a sua jornada no formato do canal de Paço de Arcos.

Inscreveu-se no programa num domingo à noite e quando reparou já estava em Lisboa. “Se calhar não vás. A tua personalidade e do chef Ljubomir Stanisic… pode dar confusão”, recordou o empresário sobre uma das opiniões que ouviu antes de entrar no programa. Entretanto, essa pessoa talvez tenha ficado surpreendida com o que ouviu de Ljubomir este domingo, dia 26. “Este menino mal disposto, é bruto que atéfarta... mas eu adoro esse tipo de feitios. Esse carácter é muito raro num ser humano, disse o chef sobre Lucas Fernandes.

Cozinha e Arquitetura eram as suas opções quando tinha de escolher o seu caminho. A mãe depressa o avisou. “Se escolheres a cozinha... isso vai ser uma prisão. Não vais ter tempo”, disse a mãe com experiência vasta a trabalhar em restauração. “Em relação a tornar-me arquiteto… Foi uma conclusão que se tirou de forma muito rápida. Não havia condições para suportar o estudo”, confessa.

Ao longo de cada episódio, o seu semblante carregado era alvo de muita curiosidade por parte dos espectadores. Nas redes sociais, muitos viam Lucas como alguém incrivelmente focado nas tarefas, outros tomavam as suas expressões por arrogância. O empresário não tem dúvidas que foi ele mesmo à frente das câmaras. “Não fui para criar uma personagem, não sou ator”, começa por contar. “Eu sou um cozinheiro que não estava numa cozinha há seis ou sete anos e que reagiu a situações diferentes”, explica justificando a sua atitude no meio do caos do programa.

Lucas rejeita a frase cliché - “Não vim para fazer amigos” – mas reconhece que estava perante 15 pessoas que não conhecia. Ainda assim, mesmo com o seu lado competitivo, chegou a uma conclusão. “Quero vencer e quero dar o meu melhor, mas não estava disposto a ganhar a todo o custo”, adianta.

As pessoas só avaliam por fora. Não têm noção das horas, das provas. Não julgo ninguém por me julgarem. Nunca podemos agradar a todos. Quis mostrar o meu melhor na cozinha, se quisesse mostrar o meu melhor em gestos faciais, se calhar inscrevia-me noutro tipo de programa”, aponta o empresário que assume ter gostado da experiência. Ainda assim, Lucas não regressaria ao formato. “Gostei, mas não voltaria a repetir. Conheci pessoas boas que tornaram a minha vida mais agradável e isso foi o meu prémio”, sublinha o empresário que não vira as costas à adrenalina da cozinha.

Lucas Fernandes é talvez o mais concorrente do formato mais popular nas redes sociais e os comentários negativos parecem não o afectar. “Eu trabalho de segunda a segunda. Eu não tenho tempo para ver isso. Seja positivo ou negativo. Nós podemos estar a vários quilómetros se distância e damos uma opinião sobre uma treta. Eu não julgo essa opinião. Cada uma dessas pessoas podia estar na minha posição e se elas gostavam que as tratassem assim…bem podem continuar”, indica, tranquilo.

António, Diogo, Hélder, Ricardo, Daniela, Rafaela e Raúl são apenas alguns dos nomes que Lucas não hesitou em dizer que se deu bem. “Há pessoas com que nos identificamos mais. O grupo era unido, mas o chef sublinhava todos os dias que só um ia vencer”, explicando que nem todos os cozinheiros separavam o que se passava nas provas da vida em casa. Lucas conta que não prejudicou ninguém no formato e que por isso está sereno. “Uma coisa que me mencionava lá dentro, eu falava. Mas claro que ao ver-me na televisão, noto que estou com uma mímica agressiva, mas se me perguntassem na altura como eu estava, diria que estava bem”, conta. O empresário, que conquistou várias provas individuais, gostou de ver a sua supervisão reconhecida, mas admite alguma frustração na atitude de alguns cozinheiros.

Fiquei desiludido de ver algumas pessoas cá fora a tratarem-me de uma maneira quando lá dentro lá dentro caíram-me em cima. E eu penso ‘ok, se era isso que tu querias alcançar, continua assim’”, atira sem mencionar nomes. Apesar do ambiente de grande exigência na cozinha, Lucas Fernandes não considera caracteriza a experiência como ‘pesada’. “Já passei por situações bem piores, stressantes e reais. No fim de contas, não deixa de ser um programa de televisão”, conclui.

Instagram

Hell's Table: o espaço que já era um sucesso antes de abrir

Lucas Fernandes uniu-se a António Pedro e Diogo Filipe e juntos são os responsáveis pelo Hell’s Table, um conceito com uma já longa lista de reservas em Vila Verde, Braga. Há um menu de degustação de 12 pratos que reflete as raízes dos três ex-concorrentes do Hells Kitchen Portugal e que promete ser uma experiência única com pratos de autor. Quem visitar o espaço, com apenas uma mesa para seis pessoas, pode circular pelas instalações, ver a cozinha e conviver com os três chefs. Têm reservas até dezembro.

Instagram