Demi Lovato, que está prestes a estrear a sua nova série documental intitulada Dançando com o Diabo, que estreou no YouTube no dia 23 de Março, fez revelações chocantes como ter sido abusada por um traficante de drogas após sofrer overdose. Mas esta não foi a única vez que a cantora sofreu agressões sexuais.

A artista tinha apenas 15 anos, prestes a fazer 16, quando foi violada. "Perdi a minha virgindade numa violação. Liguei para a pessoa um mês depois e tentei consertar as coisas assumindo o controlo e só me fez sentir pior", contou no vídeo onde foi mencionado o filme 'Camp Rock'.

O crime terá acontecido quando Demi trabalhava para a Disney e o agressor, cujo nome não foi revelado, trabalhava no mesmo filme. "Estávamos juntos, mas eu disse: 'Olha isto não vai mais além disto. Não quero que vá mais além. Sou virgem e não quero perder assim a virgindade'. Não importou. A pessoa continuou", disse.

Em entrevista ao The Times, a cantora disse que decidiu denunciar o agressor a uma mulher "muito poderosa" da indústria cinematográfica. "Ela disse: 'acho que ele não deva estar no filme', mas isso foi jogado para baixo do tapete. Nada foi feito", explicou.

"Eu internalizei aquilo e achei que a culpa era minha porque eu entrei no quarto com ele. Fiquei com ele. Eu fazia parte do elenco da Disney que dizia publicamente "eu vou esperar até casar". Nunca tive a primeira vez romântica. Não aconteceu e é terrível", recordou na série documental.

A experiência levou-a a enfrentar problemas como a bulimia ou a automutilação. "Tinha que ver essa pessoa o tempo inteiro. Então eu parei de comer, lidei de outras formas: a cortar-me, a vomitar, qualquer coisa. A minha bulimia ficou tão grave que comecei a vomitar sangue", disse.