A Pixar lançou recentemente o filme de animação 'Soul', cuja personagem principal, pela primeira vez, é negra. Em Portugal, ao contrário do que aconteceu noutros países, todas as vozes foram dobradas por atores brancos o que está a gerar uma onda de descontentamento nas redes sociais.

A propósito do tema, foram várias as caras conhecidas que deixaram o seu parecer sobre o assunto, tal como aconteceu com Nuno Markl.

Na sua conta oficial do Instagram o humorista escreveu: "O debate sobre a dobragem portuguesa de Soul é muito válido, faz todo o sentido acontecer", começa por dizer.

"O filme é uma obra-prima e a dobragem portuguesa é óptima, bem dirigida e interpretada - esse mérito não está em causa. Mas é claro que Portugal deveria ter prolongado o momento histórico celebrado internacionalmente pelas próprias Disney e Pixar: Soul é o primeiro filme da Pixar com um protagonista negro, contando o elenco original com as vozes de Jamie Foxx, Angela Bassett e Questlove. Temos excelentes actores negros capazes de vestir a pele destas personagens e a desculpa “não temos cá ninguém” é falsa; este tipo de incidente só ajuda a que continue sem haver “ninguém”. Sempre que acontece uma coisa destas, prossegue-se o escavar do fosso que afasta esses actores das oportunidades que merecem", continua.

"Quando se fala de racismo sistémico, fala-se de percalços destes: não terá havido más intenções, mas o simbolismo de Soul, apesar de contar uma história universal sobre emoções que atravessam pessoas de todas as cores e culturas, é particularmente especial e devia ser celebrado cá como aconteceu nas versões dobradas de Soul noutros países. Pode ser que trazendo este tema a debate, as coisas mudem. Que se tome isto como construtivo, porque é esse o espírito", remata.

Sobre a controvérsia, também Dino Santiago deixou uma publicação com a sua opinião.

"Soul estreia a nível mundial neste ano de 2020, que representou um dos anos mais importantes na história da humanidade na luta contra o racismo e NÃO EXISTE REPRESENTATIVIDADE DA CULTURA AFRO-PORTUGUESA num elenco que conta com mais de 20 Personagens e apenas 1 é Negra!?", pode ler-se.

A atriz Soraia Tavares fez também parte do leque de caras conhecidas que não quis deixar de comentar a polémica.

"Aqui era preciso ter havido esse briefing da parte do cliente final na procura destas vozes, para uma uniformidade mundial na dobragem deste filme. Exactamente porque esse era um dos propósitos do filme. Que houvesse representatividade; que se mostrasse a cultura afro como ela é, como ela soa e entoa. O que não quer dizer que a partir de agora os negros fazem de negros e os brancos fazem de brancos, não. Este filme em específico pedia sim mais vozes negras nesta elenco. E isto trouxe também ao de cima outra questão: a sistemática negligência perante os negros na área artística. E por isso não podemos não falar sobre isso. É preciso fazer um exercício de humildade para compreender", pode ler-se na legenda de uma imagem partilhada no Instagram.

Instagram
Instagram
Instagram