Reprodução Instagram, DR

Conhecido por estar sempre com um sorriso no rosto e fazer amigos com muita facilidade, Pedro Lima vivia também momentos angustiantes. Nem sempre estava feliz, como fazia transparecer. O ator, que foi encontrado morto este sábado, dia 20 de junho, na praia do Abando, em Cascais, confessou em 2018 que chegou ao ponto de sentir que estava com uma depressão.

"Quando se passa 18 anos a trabalhar como eu fiz, com regimes de trabalho muito intensos, com desafios enormes, de repente parar... Tive uma reacção de descontrolo. Comecei a questionar-me: o que queria, o que era, quem era... não tenho muita auto-estima, ou não tinha por mim e achava que nada era suficiente", assumiu, há dois anos, à TV GUIA.

>> António Raminhos sobre problemas de saúde mental: "Procurem ajuda como eu e outros o fazem"

"Já houve pessoas que fizeram esta análise por mim e eu, agora, aceito-a de qualquer maneira. Descobri que tenho mais a tendência para me preocupar com o não ser do que o ser... Mas, felizmente, com a ajuda da família, estabilizei", afirmou.

Na altura, o ator explicou que estava numa fase melhor da sua vida. "Não tomei antidepressivos… mas tive alguns momentos de angústia muito grandes. Não sei se isso é depressão ou não, mas agora estou mais equilibrado. Agora sinto-me novo. Claro que sei que vou ter mais momentos destes na minha vida", revelou.

Pedro Lima disse ainda que, apesar de ser descomplexado quanto à idade, "os 46 anos são uma idade difícil", podendo ser esse uma das razões para o tal desequilíbrio. "Falei com algumas pessoas que já passaram por isso e descobri que é frequente alguns homens, quando chegam a esta idade, questionarem o futuro, o que estão a fazer… E percebi que sou apenas mais um. Se é crise de meia-idade não sei", contou.