A rainha Isabel II de Inglaterra

A rainha Isabel II de Inglaterra

Getty Images

Foi detetado um caso de Covid-19 entre os funcionários do Palácio de Buckingham e a Casa Real britânica viu-se obrigada a tomar medidas rápidas e drásticas. O primeiro passo foi retirar, de imediato, a rainha Isabel II, de 93 anos, de Londres. A monarca antecipou as tradicionais férias da Páscoa e mudou-se na semana passada para o Castelo de Windsor, onde o marido, o príncipe Philip, de 98 anos, passa grande parte do seu tempo agora que está afastado da vida pública.

A rainha Isabel II de Inglaterra, Meghan Markle, os príncipes Harry e William e Kate Middleton

A rainha Isabel II de Inglaterra, Meghan Markle, os príncipes Harry e William e Kate Middleton

Getty Images

De acordo com o Daily Mail, o funcionário teve resultado positivo no teste de despiste ao novo coronavírus, dias depois de ter ficado doente e de todas as pessoas que com ele contactaram terem ficado de quarentena obrigatória. “O trabalhador testou positivo à Covid-19, antes da rainha viajar para Windsor. Mas o palácio tem um staff de 500 pessoas, por isso, é preciso perceber que, tal como qualquer outro sítio com esta dimensão, era expectável que mais dia menos dias fosse afetado”, afirma fonte próxima.

Meghan Markle, Harry e Isabel II de Inglaterra

Meghan Markle, Harry e Isabel II de Inglaterra

O palácio não fez qualquer comunicado oficial, pelo que não se sabe a pessoa em causa teve qualquer tipo de contacto com a rainha Isabel II. Contudo, a mesma publicação refere que os especialistas acreditam que a soberana esteja a preparar uma mensagem para tranquilizar os britânicos, mas está “à espera do momento certo”.

Rainha Isabel II e príncipe Filipe

Rainha Isabel II e príncipe Filipe

Antony Jones

De referir que, numa fase inicial, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, desvalorizou a crise pandémica, tendo mesmo falado em imunidade de grupo, ou seja, quanto mais pessoas estivessem doentes, mais facilmente o país ultrapassaria a situação, mas agora já viu a resolução não é assim tão fácil. Na semana passada já se viu obrigado a decretar o encerramento das escolas e até esta segunda-feira, dia 23, já morreram mais de 280 pessoas.