Sofia Aparício esteve à conversa com Fátima Lopes, esta segunda-feira, dia 2. A atriz falou sobre a carreira de manequim, as bases do formação dos pais e encarou, de novo, o tema das drogas sem qualquer receio.

"Eu sei que não vou esclarecer isto nunca, mas eu vou tentar mais uma vez", começa por dizer de forma serena. "Consumi drogas para me divertir. Nunca fui toxicodependente, nunca fiz nenhuma cura de desintoxicação. Não há heróis, eu não sou. Tive sorte", admite a atriz de 49 anos, que começou a trabalhar desde os 13.

"Não sei se, por ter assumido isto há tantos anos, onde ainda ninguém falava e as drogas eram um assunto super tabu, se por ser mulher, a imagem que as pessoas têm de mim... quem não me conhece e pensa em mim e viu uma entrevista minha, acha que sou uma grande drogada", explica sem receios.

A atriz sublinhou que é uma parte muito pequena da sua vida e frisou tratar-de de um julgamento "muito redutor". "Acho um bocado injusto. Há pessoas que vêm para a televisão dizer que são toxicodependentes, que fazem curas e que agora estão muito bem e são heróis nacionais. Eu que nunca fiz nenhuma cura [e que admitiu a dependência] sou uma ovelha negra", acrescentando que as pessoas a reduziam a isso, sendo que hoje, essa perspetiva não a incomoda.