Após a acusação de assédio por uma adolescente de 17 anos na cidade de Viamão, em Porto Alegre, um homem, condutor da Uber, tentou 'justificar' o seu ato devido às roupas e ao comportamento da jovem.

"Tenho a certeza que vocês tiveram acesso ao vídeo que ela [a adolescente] publicou a denegrir-me. Ela está a sorrir no banco, em posições que eu até não gostaria de citar aqui pois não posso provar. Afinal de contas, ela não se filmou nesse sentido", disse André Lopes Machado, de 43 anos, à imprensa.

"Ela estava com uns calções do tipo Anitta, com uma mini blusa, com as pernas abertas no banco e a chamar à atenção", continuou.

Diante estas declarações, Anitta recorreu ao Twitter para comentar sobre o vídeo que recebeu com o comentário do acusado, referindo que o mesmo "tenta justificar o injustificável"

"Nada justifica um assédio. A forma de se vestir, sentar, e falar não significa qualquer autorização ou pedido ou convite para ser assediada ou invadida, abusada, violada", afirmou a cantora de 26 anos.

"Quanto à menina estar a usar um calção 'tipo Anitta', para mim significa que ela é independente, não tem medo de ser quem ela quer e, acima de tudo, bem inteligente para denunciar e expôr um assediador para que outras meninas não passem pelo mesmo que ela", concluiu.

Confira abaixo as publicações da cantora:

Em entrevista à GaúchaZH, o motorista afirma que o vídeo tem cortes e está editado. "O meu erro foi ter feito um elogio e o principal de todos foi não ter percebido que era menor e deixar entrar no carro", disse.

"Fui vítima dela. Ela entrou preparada para a conversa, sorriu o tempo todo. Se fosse assediada, não estaria tranquila no banco a rir. Isso prova a intenção dela", continuou André Lopes Machado, que diz já ter recebido ameaças de morte.