VI-Images

Ricardo Quaresma foi um dos convidados de Júlia Pinheiro. Esta quinta-feira, 30 de setembro, o futebolista esteve no programa Júlia, da SIC, e abriu o coração sobre várias fases da sua vida: boas e más.

"O que é que ficou para trás que gostaria de ter feito?", questionou a apresentadora. "Se calhar triunfar onde não triunfei. Por exemplo, em Barcelona. Devia ter mais calma e não tive. Era miúdo e era rebelde. Se calhar não estava preparado para a dimensão do clube. Passas de um bairro para o mundo da fama onde pensas que já fizeste tudo e não fizeste nada", disse o jogador, que atualmente joga pelo Vitória de Guimarães.

"Digo isto às pessoas mais chegadas: 'Nasci para o futebol, não nasci para o mundo do futebol'", afirmou. "O mundo do futebol tens que dizer aquilo que as pessoas gostam de ouvir e eu não sou nada disso. Digo aquilo que penso e, por vezes, não cai bem às pessoas", continuou.

O futebolista explica que também guarda mágoa da altura em que esteve a jogar pelo Inter de Milão. "No Inter já não era assim tão jovem, mas passaram-se coisas que não se deviam ter passado. Magoaram-me porque quando estás à espera de uma coisa e sai outra, e quando tens a pessoa como um exemplo e depois acabas por ver que aquilo não é o que pensavas", recordou.

"O [José] Mourinho é um grande treinador, mas há coisas que me magoaram", acrescentou. Espreite em baixo o vídeo da entrevista!