Meghan Markle com o príncipe Harry e o filho

Meghan Markle com o príncipe Harry e o filho

Pool

A entrevista de Meghan Markle e do príncipe Harry de Inglaterra a Oprah Winfrey continua a dar que falar. Além de ter falado sobre a relação tensa com Kate Middleton, de ter contado que lhe foi negada ajuda psicológica quando teve pensamentos suicidas e de ter garantido que tinha sido “silenciada”, a atriz ainda acusou a família real britânica de racismo, deixando a apresentadora norte-americana sem palavras.

>> Meghan Markle e Harry partilham nova fotografia de família

Todas esta declarações caíram como uma bomba no seio da Casa Real, mas também na imprensa britânica, que acusa Meghan Markle de querer destruir por completo a imagem do marido. Também a classe política já reagiu e pediu que o caso fosse investigado e identificado o autor dos comentários.

>> Meghan Markle fala sobre a sua relação com a rainha

O príncipe Harry de Inglaterra e Meghan Markle em entrevista a Oprah Winfrey

O príncipe Harry de Inglaterra e Meghan Markle em entrevista a Oprah Winfrey

Getty Images

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson foi questionado sobre o assunto durante uma conferência em Downing Street, a sua residência oficial, mas optou por não se envolver. “A melhor coisa que posso dizer é que sempre tive a maior admiração pela rainha e pelo papel unificador que ela representa no nosso país e em toda a comunidade. Relativamente a outros assuntos relacionados com a família real, não vou comentar", afirmou.

Já o ministro Zac Goldsmith recorreu às redes sociais, nomeadamente ao Twitter, para reagir a estas declarações, considerando que Harry “fez explodir a família”. “O que Meghan quer, Meghan consegue”, adiantou ainda.

>> Meghan Markle e relação com a cunhada revela: “A Kate fez-me chorar antes do meu casamento. Isso foi um ponto de viragem”

Também Kate Green, secretária de Estado da Educação considerou, em declarações à Sky News, que as declarações do casal são “angustiantes e chocantes” e pediu ao Palácio de Buckingham para investigar quem fez os alegados comentários racistas.

Keir Starmer, líder do partido trabalhista, reforçou que questões como o racismo e a saúde mental estão “acima da família real” e que é preciso averiguar a veracidade dos factos.

Não perca a entrevista em exclusivo na SIC!