José Raposo

José Raposo

Instagram

António Cordeiro morreu no sábado, 30 de janeiro, aos 61 anos. Há mais de quatro ano que recebeu o diagnóstico que ninguém quer ouvir: sofria de uma doença degenerativa e incurável, Paralisia Supranuclear Progressiva. Um tema sobre o qual chegou a falar com Daniel Oliveira no programa Alta Definição, que pode rever no vídeo abaixo.

José Raposo, seu amigo de longa data, juntou-se às muitas caras conhecidas que lhe prestaram homenagem nas redes sociais. “Publiquei esta foto em abril do ano passado. Estava complicado... Sou grande amigo do António. De há vinte e tal anos que ele e a Lena eram presença assídua na minha vida. E eu e os amigos mais próximos que assistimos a este enfermo que lhe aconteceu nos últimos anos de vida, serenámos um pouco a alma por assistirmos ao mesmo tempo ao grande ato de amor que a Lena lhe proporcionou!”, começou por escrever o ator, referindo-se a Helena Almeida, a mulher de António Cordeiro, que esteve sempre ao seu lado mesmo nos momentos mais difíceis.

António Cordeiro com a mulher, Helena Almeida

António Cordeiro com a mulher, Helena Almeida

Instagram

E foi precisamente para ela que José Raposo escreveu o seguinte texto há quase um ano: “ANTÓNIO CORDEIRO e HELENA ALMEIDA - a história de um grande amor! Esta foto tirei-a no Barreiro em 18 de fevereiro de 2019, num jantar anual de amigos barreirenses, que neste ano se fez em honra do Cordeiro. Como toda a gente sabe, este conhecido ator português, de quem sou grande amigo, contraiu uma doença rara - paralisia supranuclear progressiva - há cerca de 4 anos. Esta doença é incurável e degenerativa, provocando rigidez nos músculos, dificuldades na fala e demência, entre outras consequências. Eu fui acompanhando a evolução da doença, e sofri, como todos os amigos do António, ao assistir à incapacidade que se foi instalando nele de controlar os movimentos do corpo e da fala... exatamente as ferramentas essenciais do ator! É indescritível a crueldade desta doença, que transforma a pessoa num ser completamente dependente! E aqui entra neste texto a Lena... a Lena é uma guerreira! A Lena dedicou-se de corpo e alma ao amor da sua vida, e eu mais os amigos próximos do casal somos testemunhas! Ela passou a ser os braços, as pernas, o corpo do António! Só assim poderia o António ficar em casa, pois as 24 horas do dia eram passadas a ir (a Lena tirou a carta por isto) a fisioterapeutas, médicos, hospitais, e em casa todas as ações do dia-a-dia, sendo que para andar, ela tinha de conduzi-lo agarrando-o por trás! E mesmo assim o António caía algumas vezes por dia, pois o desequilíbrio é sintoma maior da doença, e ele pesava mais que ela, óbvio! Ora, recentemente, com o agravar da situação (o António já não andava nem falava), a Lena viu-se obrigada a internar o marido na Casa do Artista, instituição de grande mérito como se sabe”.

Ainda antes do internamento de António Cordeiro, Helena Almeida deu uma entrevista emotiva a Júlia Pinheiro, durante a qual falou do seu papel como cuidadora. Recorde abaixo: