O duque de Edimburgo e o príncipe Harry de Inglaterra

O duque de Edimburgo e o príncipe Harry de Inglaterra

Samir Hussein / Getty Images

Passou cerca de um ano desde que o príncipe Harry de Inglaterra e a mulher, Meghan Markle, se mudaram para o Canadá com o filho, Archie, então com seis meses, para, alegadamente, desfrutarem de alguns meses de férias tranquilos, longe de toda a pressão mediática que estavam sujeitos diariamente.

Certo é que poucas semanas depois o casal acabou por anunciar que renunciava aos seus deveres reais e planeava mudar-se definitivamente para Los Angeles, Estados Unidos, onde agora vive numa mansão de luxo. O objetivo era o mesmo: viver longe dos holofotes da fama e de forma anónima. Contudo essa parece ter sido apenas uma desculpa, já que escolheram para viver um dos locais mais exclusivos na Califórnia e têm como vizinhos grandes estrelas do showbiz.

Max Mumby/Indigo

Além disso, têm agora uma produtora e até já assinaram um contrato milionário com a Netflix. Ou seja, vão continuar a movimentar-se no mundo da sétima arte e das celebridades, como Meghan Markle já fazia antes de se tornar duquesa de Sussex.

Tudo isto tem um preço para Harry: uma relação cada vez mais distante com a sua família, nomeadamente o irmão, William, com quem terá mesmo pouco contacto. Mas, de acordo com a escritora Ingrid Seward, especialista em realeza britânica, quem mais sofre com este afastamento é o marido da rainha Isabel II, que, aos 99 anos, se sente “traído” por aquele que sempre foi “o neto favorito”. O príncipe Philip “continua em negação em relação à decisão do neto e considera que o seu comportamento é muito estranho”, explica ao Daily Mail a autora que recentemente lançou uma biografia do duque de Edimburgo. A culpada para tudo isto, segundo o marido de Isabel II é Meghan, que “se mostrou pouco compreensiva”. “Ele está muito, muito desapontado. Sente que desistiu da sua carreira na marinha para ficar ao lado da rainha e ajudar a monarquia. Por que é que Meghan não pode simplesmente desistir de sua carreira de atriz para apoiar seu marido e a monarquia? Ele não consegue entender”, adianta ainda à mesma publicação.

Pool

Recorde-se que para estar ao lado de Isabel II ao longo de mais de sete décadas o duque de Edimburgo teve de abdicar de muita coisa: abdicou da carreira e ainda dos títulos de príncipe da Dinamarca e da Grécia. Apesar das polémicas e de, por vezes, ter colocado a mulher em situações desconfortáveis por causa da sua irreverência e rebeldia, Philip esteve sempre ao seu lado e os dois comemoram 73 de casamento no próximo dia 20 de novembro.