Michael Tran

A família de Sia está a tornar-se cada vez maior. Depois de revelar que tinha adotado dois rapazes que, na altura, tinham 18 anos, a cantora anunciou que já é avó.

A artista de 44 anos acolheu os jovens no ano passado e acredita que isso a terá salvo. "Para mim, é uma bênção. Acredito que eles é que me salvaram, estou no céu", disse, sem revelar a identidade dos filhos.

Pela primeira vez, a artista desabafou também sobre o processo de adoção, explicando que os filhos tiveram em 18 locais diferentes em 18 anos e que o histórico apresentado pelas assistentes sociais era completamente diferente da vida que os jovens levavam e, por isso, o processo de adaptação foi complicado.

"Eu dizia: 'Podes fazer isso ou voltar para o sítio de onde vieste', o que não é uma vida muito agradável. "Eu dizia: 'Estou a fazer isto porque sou tua mãe. Adoro-te. Não tenho outro compromisso para além do fato de que te adoro. Não te quero ver na prisão'", explicou.

Sia revelou que os rapazes tiveram traumas muito complexos quando tiveram nos lares temporários e, para os ajudar, colocou-os em programas especializados em casos como os deles. "Um saiu recentemente, está a florescer e é a luz da minha vida. Amo-o tanto", contou, 'derretida'.

"Levei até aos 41 anos, acho, para lidar com o meu trauma. Eu não quero isso para eles, mas não se pode forçar ninguém. Então estou só a tentar fazer o melhor por eles", desabafou.

A cantora também disse que os dois filhos adotivos eram negros e que foram responsáveis por lhe dar "um choque de realidade" sobre questões raciais. "Estou envergonhada por ter precisado de adotar dois filhos negros para realmente entender o que eles passam diariamente. Há coisas a fazer. [...] Eu tenho muito medo pelos meus filhos. Estou plenamente consciente que só experimentei privilégios por ser branca e agora tenho estes dois filhos negros que me dizem como as coisas realmente são", explicou Sia, referindo-se à brutalidade policial e ao racismo que levou a várias manifestações.

starzfly/Bauer-Griffin