Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa

Instagram

Foi ao som do tema Leãozinho, do artista brasileiro Caetano Veloso, que a urna onde seguiam os restos mortais de Pedro Lima entrou no recinto do Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, onde dezenas de familiares e amigos se despediram do artista que morreu no sábado, 20 de junho.

Entre os presentes estava Marcelo Rebelo de Sousa, que recordou o ator como “um retrato da vida, da felicidade e da vontade de querer criar a felicidade nos outros”. “Nunca o vi infeliz. Essa é a grande memória que tenho dele”, lembrou o Presidente da República, antes de falar dos efeitos nefastos da pandemia Covid-19 e do confinamento. “Todos os portugueses sofrerem naturalmente este período de problemas de consciência, de reflexão, de aparências muito simples e de fundos de alma muito complicados”, explicou, acrescentando: “Muitos não têm a noção do que isso foi no mundo da cultura e no mundo do espetáculo, que parou. Completamente. Isso parou com a vida das pessoas, virou-as para dentro, para os seus problemas, e isso criou situações imprevisíveis e incompreensíveis, mas que nos deixam um traço de saudade que é difícil de apagar”.

Coube à viúva de Pedro Lima, Anna Westerlund, encerrar a cerimónia com um discurso emocionado. Saiba mais aqui!