Daniele Badolato - Juventus FC

Cristiano Ronaldo chegou à Madeira na madrugada de 9 de março, com a companheira, Georgina Rodríguez, e os quatro filhos, Cristiano, de nove anos, os gémeos Eva e Mateo, que completam três em junho, e Alana Martina, dois anos e meio. O objetivo principal desta viagem era visitar a mãe, Dolores Aveiro, internada desde o dia 3 devido a um Acidente Vascular Cerebral Isquémico, mas a família viu-se agora forçada a prolongar a estadia. Tudo porque o defesa Daniele Rugani, colega de equipa de CR7 na Juventus, teve um resultado positivo ao teste do novo coronavírus. O clube italiano emitiu, inclusivamente, um comunicado a informar que Ronaldo não regressará a Itália nos próximos dias. "Cristiano Ronaldo não treinou e permanece na Madeira, onde aguarda desenvolvimentos sobre a situação de saúde", lê-se na nota de treino da Juventus.

Cristiano Ronaldo com a namorada, Georgina Rodríguez, e os filhos: Mateo, Eva, Alana e Cristiano

Cristiano Ronaldo com a namorada, Georgina Rodríguez, e os filhos: Mateo, Eva, Alana e Cristiano

Instagram

Ora, o facto do futebolista ter estado, de alguma forma, em contacto com a doença gerou preocupação e o Governo Regional da Madeira viu-se obrigado a fazer um esclarecimento. “Há muita desinformação e contra informação. Toda esta situação que envolveu a situação do Cristiano Ronaldo foi toda controlada, ainda o Ronaldo estava em Itália. Foi controlada pelo Serviço Regional de Saúde e pelo próprio atleta. O atleta visitou a sua mãe, porque o Serviço Nacional de Saúde garantiu toda a segurança, não só para ela, como para todos os profissionais que, eventualmente, conversassem com ele”, explicou Pedro Ramos, secretário-regional de saúde da Madeira.

Cristiano Ronaldo e Georgina Rodríguez com Cristianinho

Cristiano Ronaldo e Georgina Rodríguez com Cristianinho

Getty Images

“Esta situação da quarentena, o diagnóstico do colega é recente, o Ronaldo já está há alguns dias fora de Itália e o isolamento que o Ronaldo está a fazer, e que a sua família também está a fazer, não é de agora, é para a frente. Já começou há algum tempo”, garantiu ainda, antes de concluir: “Tanto o atleta como a sua família está assintomáticos. O plano de contingência, qualquer cidadão que chegue de uma zona afetada, qualquer cidadão que está assintomático, deve ter um comportamento exemplar. Diz respeito à concretização de medidas básicas, ou seja lavar as mãos repetidamente e evitar o contacto social, eventualmente, se denunciar sintomas”.

Cristiano Ronaldo com a mãe, Dolores Aveiro

Cristiano Ronaldo com a mãe, Dolores Aveiro

Nicolò Campo

O resultado do teste de Daniele Rugani terá deixado CR7 preocupado, sobretudo por causa da mãe que depois do AVC faz parte do grupo de risco no que toca ao COVID-19.