É uma acção invulgar por parte de qualquer monarquia. O príncipe Harry avançou em comunicado que ia processar o Mail on Sunday pelos ataques insistentes a Meghan Markle e pela publicação de uma carta que a sua mulher enviou ao pai, Thomas Markle.

Harry sublinha a importância da imprensa confiável e do seu pilar como pilar da democracia e que não quer tornar-se numa "testemunha silenciosa do sofrimento privado" de Meghan.

"Chega um momento em que a única coisa a fazer é enfrentar esse comportamento porque destrói as pessoas e destrói vidas. Simplificando, é o assédio moral, que assusta e silencia as pessoas. Todos sabemos que isso não é aceitável, em nenhum nível. Não acreditamos e não podemos acreditar num mundo onde não há responsabilidade por isso", diz em comunicado.

A carta enviada por Meghan Markle ao pai, leia aqui, foi divulgada em fevereiro deste ano. Segundo, Harry foram omitidas frases e parágrafos inteiros, advogando que a publicação do conteúdo é ilegal e de forma destrutiva para alterar o percepção do público.

A referência a Diana

"O meu maior medo é que a história se repita. Eu vi o que aconteceu quando alguém que eu amo vira uma mercadoria ao ponto de que ela não volta a ser tratada ou vista como uma pessoa de verdade. Perdi aminha mãe e agora vejo a minha mulher se tornar vítima das mesmas forças poderosas", encerrou em comunicado. Diana morreu em Paris, em 1997, num acidente enquanto era perseguida por paparazzi.

Harry e Meghan estão a pagar o processo com o próprio dinheiro e caso ganhem o processo a indemnização será trasnsferida para instituições de caridade.