Getty Images

Getty Images

NurPhoto

Roger Waters voltou a erguer a voz para apelar ao boicote do Festival Eurovisão da Canção 2019, onde Madonna subirá ao palco na final do concurso no dia 18 de maio, em Telavive.

Depois de já, em março, se ter dirigido a Conan Osíris por meio de uma carta aberta onde o apelidava de "jovem e talentoso cantor português" e pedia que defendesse "o lado certo da história" por ser quem tem "amor suficiente no coração para se erguer e fazer a diferença"... Agora, o vocalista dos Pink Floyd apontou a mira para Madonna mas abrangeu, na sua missiva, todos os concorrentes do ESC2019.

Foi no artigo de opinião Se acreditas em Diretos Humanos, Madonna, não atues em Telavive, publicado no britânico The Guardian, que o músico exortou "todos os jovens concorrentes - na verdade todos os jovens, na verdade todas as pessoas jovens e velhas, e isso inclui Madonna - a lerem a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU)", sublinhando: "foi traduzida em 500 idiomas, para que qualquer pessoa possa conhecer os seus 30 artigos".

Roger Waters acredita que o facto da "Rainha da Pop" ter aceitado o convite "levanta, mais uma vez, questões éticas e políticas fundamentalmente importantes para todos e cada um ponderar", acrescentando: "até o governo israelita reconhecer o direito dos palestinianos a autodeterminação, os artistas devem manter-se longe"

O músico considera, ainda, que "atuar em Israel é um concerto lucrativo, mas fazê-lo serve para normalizar a ocupação, o 'apartheid', a limpeza étnica, o aprisionamento de crianças, o abate de manifestantes desarmados... todas essas coisas más".

A posição política do governo israelita e ao seu modus operandi face aos palestinianos tem levados vários intelectuais, em todo o mundo, a apelar ao boicote ao Festival que se realiza entre 14 e 18 de maio. Em setembro, mais de uma centena de artistas de todo o mundo, incluindo de Portugal, manifestaram apoio a esse apelo e, em novembro, vários artistas portugueses apelaram, numa carta aberta dirigida à RTP, à saída de Portugal do Festival Eurovisão da Canção.

A designer de moda Vivienne Westwood, o músico Peter Gabriel, o realizador Mike Leigh e a banda Wolf Alice, escreveram uma carta aberta à BBC onde pediam à organização que alterasse a localização da edição de 2019 do concurso.