Marco Paulo esteve à conversa com Júlia Pinheiro esta segunda-feira, 29 de março, e esclareceu a polémica de que foi alvo nos últimos dias, sobre uma alegada tentativa de contratação por um canal da concorrência.

"Não fiz mal a ninguém. Matei alguém? Roubei alguém? Pronto. O que é que ganho se estiver aqui a chorar? Nem as pessoas lá em casa iriam gostar. Só venho aqui, ao programa da Júlia, à SIC, porque algumas coisas foram faladas e eu não gostei. Como qualquer ser humano, não gosto de ser maltratado", começou por dizer.

"Não admito que, por motivos de audiências, me metam numa situação que não gosto. Sou cantor, a minha presença na televisão é para cantar (...) Não sou apresentador de programas", acrescentou ainda o artista de 76 anos, que tem tido destaque em várias emissões especiais do canal de Paço de Arcos nos últimos meses.

"Fui metido numa teia da qual não tive culpa nenhuma. Há dois canais e há uma pessoa que é disputada e, por acaso, sou eu... podia ser outro qualquer. Toda a gente sabe que sou cantor, não sou apresentador de programas, mas já o fiz durante dois anos e ninguém se queixou. É muito estranho dar-se um comunicado quando se fala com a pessoa, quando se é amigo da pessoa, como eu era. Já tinha almoçado e jantado com uma pessoa - não vou falar em nomes - e era amigo pessoal (...) Recebi um telefonema de alguém a dizer que eu não tinha de estar na SIC (...) A perguntar se tinha contrato com a SIC ou não”, explicou ainda durante esta entrevista exclusiva a Júlia Pinheiro.

"Que eu andei a aproveitar-me para subir a minha cotação? Eu não faço parte da bolsa. Tive conversações com as pessoas. Falei com a SIC, sempre demostrou interesse. Falei com as pessoas do outro canal e pediram-me para ter um almoço com algumas pessoas da administração do canal. E ninguém vai almoçar a uma casa se não for convidado, eu não vou (…) "Tinha de receber uma proposta até à sexta-feira passada, mas essa proposta nunca aconteceu, não me apresentaram a proposta (…) Nunca falei em dinheiro com ninguém", garantiu ainda.