Reprodução Instagram, DR

Não é a primeira vez que Rita Ferro Rodrigues utiliza as redes sociais para fazer uma reflexão sobre os acontecimentos que marcam a atualidade.

Depois de terem sido tomadas novas medidas graças à pandemia mundial que parece agravar-se no país (conheça aqui os pormenores), a jornalista fez um desabafo na sua conta de Instagram.

"Estou de acordo parcial com a decisão de manter as escolas abertas. Parcial porque defendia hipótese de alunos mais velhos ficarem em casa com ensino online - porém assumo a minha ignorância no que isso poderia significar para muitas famílias e sobretudo, para toda uma geração que me vai suceder e que desejo que seja devidamente educada e preparada. Confio", começou por escrever.

»RITA FERRO RODRIGUES QUESTIONA: "SOMOS TODOS CRIANÇAS E PRECISAMOS DE UM PAI AUTORITÁRIO QUE NOS OBRIGUE A COMPORTAR BEM À FORÇA?"«

"Triste pelo fecho da Cultura - que dados existem ? Da experiência que tive durante estes meses, a Cultura é segura. Não gostaria de estar no lugar do decisor político. Estes tempos são excepcionais e acredito na boa intenção - e intenção validada cientificamente - de todos os que tomam decisões por nós", continuou.

Por fim, Rita Ferro Rodrigues abordou ainda a questão das votações que devem decorrer no próximo dia 24: "Aceito o confinamento, cumprirei com tanto rigor como o rigor democrático que me vai fazer sair de casa dia 24 de Janeiro, com a minha caneta e a minha máscara para votar. Num / numa candidato / candidata que represente a democracia, a igualdade, a inclusão, a verdade, a justiça, a constituição. Existem muitos e muitas e todos os votos serão úteis para combater o ódio. Combater o ódio."

"E é isto por agora. Resistam firmes e até amanhã", rematou.

Reprodução Instagram, DR