Sara Barradas com a mãe, Felisbela Dias

Sara Barradas com a mãe, Felisbela Dias

Instagram

Felisbela Dias foi condenada a sete anos de prisão pelo crime de burla qualificada. A notícia é avançada pela revista TV Mais desta semana, que adianta que a mãe de Sara Barradas lesou vários amigos e familiares em milhares de euros entre 2014 e 2017, num esquema que também envolvia o seu companheiro, João de Almeida, também condenado a uma pena de seis anos.

A revista revela que Felisbela Dias usou João de Almeida como testa-de-ferro para extorquir dinheiro a pessoas da sua confiança, entre elas o genro, José Raposo, a ex-mulher deste, Maria João Abreu, e ainda a fadista Gisela João, entre outros. “O esquema da burla consistia em, através de uma personagem fictícia que trabalharia numa entidade bancária, muito amiga do pai de Felisbela Dias e que teria acesso privilegiado a negócios vantajosos no ramo imobiliário (através da aquisição de imóveis penhorados abaixo do preço o mercado), aliciar as pessoas a pagar quantias a título de sinal dos referidos imóveis”, conta uma fonte citada pela referida publicação semanal.

Parte dos lesados “são familiares diretos do companheiro de Felisbela Dias, João de Almeida, que foram persuadidos a adquirir imóveis a preços muito vantajosos e que, por se tratar de um familiar direto, nunca puseram em causa a honestidade do negócio”, acrescenta a mesma fonte, antes de explicar o procedimento: “Os pagamentos eram feitos maioritariamente por transferência bancária para a conta do marido de Felisbela Dias e também através de cheque à ordem para a conta da mãe de Felisbela. Era depois levantado o dinheiro dessas contas em numerário e entregue a Felisbela Dias, que fazia desaparecer o rasto ao dinheiro”.

O esquema terá sido denunciado à Polícia Judiciária em 2017 e os dois arguidos – condenados a sete e seis anos de prisão efetiva – recorreram da decisão do tribunal e aguardam agora nova sentença.