Soraia Chaves esteve esta sexta-feira, 18 de dezembro, no programa Júlia, da SIC. A atriz abriu o coração a Júlia Pinheiro e recordou a depressão que viveu aos 27 anos, logo após o lançamento do filme Call Girl.

"Estas questões de saúde mental ainda são vistas como um estigma. [...] A minha experiência pessoal diz-me que as pessoas demoram muito tempo a reconhecer um problema por causa da estigmatização dos outros. Vão arrastando um problema que pode ser resolvido", começou por referir.

No que diz respeito ao seu caso, a atriz recordou que sentia uma enorme tristeza. "Comecei a acreditar que era assim. Tinha momentos de depressão associados à melancolia. Não queria reconhecer que era um problema que podia ser tratado e que eu não era assim", contou.

Soraia Chaves

Soraia Chaves

Tiago Caramujo

"Eu acho que é importante os familiares e as pessoas que estão próximas darem apoio quando alguém está a passar por isto. Podemos chegar a uma altura em que nos sentimos realmente incapacitados, em que podemos perder uma vida, frisou.

"Foi um combate. O mais importante é reconhecer, em primeiro lugar, que se tem um problema, partilhar e procurar ajuda", reforçou.

"Temos de falar sobre isto e mesmo o próprio Sistema Nacional de Saúde tem de dar mais atenção a isto. As pessoas têm de estar mais abertas para falar sobre este problema, que eu acho que está a atingir a grande maioria da população", completou.