Reprodução Instagram, DR

Catarina Gouveia foi a convidada deste sábado, dia 3 de outubro, do programa Alta Definição, da SIC. Numa conversa intimista e emotiva com Daniel Oliveira, a atriz relembrou uma fase muito complicada da sua vida que a marcou para sempre.

"Há um dia da minha vida que me marcou, mas que hoje vejo um propósito para ter acontecido e portanto não posso considerá-lo o pior dia da minha vida. Acho que foi assim que teve que acontecer", afirmou Catarina, referindo-se a um aborto que sofreu às 10 semanas de gravidez. "Acontece todos os dias, a todas as mulheres e as mulheres não falam sobre isto", afirmou.

A atriz relembrou o dia em que lhe foi dada a triste notícia. "A forma como aconteceu foi muito dura. Eu estava no exame. Disseram-se: 'Tenho uma má noticia para si, não tenho batimentos, portanto se quiser fica aqui no hospital ou se quiser vai embora para casa. E eu: 'Desculpe? Como assim?'. 'Não tem batimentos. O seu corpo não reconheceu que tem o aborto, o coração não está a bater, portanto ou fica aqui ou vai embora para casa e espera que o seu corpo expulse naturalmente'", contou.

"Eu pensei: 'Esta senhora não sabe o que está a dizer. Vou já para outra médica, uma médica verdadeiramente competente'. Este era o discurso que eu estava a ater comigo mesma porque de certeza que o coração nem está formado e ela está-me a dizer que não tem batimentos", disse.

Entretanto, Catarina acabou por ser acompanhada num hospital público e criticou a forma como foi recebida. "A médica era muito competente, mas muito fria. Não houve nenhum tipo de acompanhamento, o que eu acho que é necessário. Um suporte psicológico, um apoio... Depois vais para casa à espera que aconteça e é um sufoco e um sofrimento", disse.

"Foi um período muito complicado porque te sentes incapaz. Achas que a pessoa ao teu lado não percebe nunca o que tu verdadeiramente estás a sentir. É o teu corpo e depois colocas em causa se algum dia conseguirás ser mãe, se foi alguma coisa que fizeste errado, se subiste as escadas de uma forma mais agressiva daquele momento. Começas a fazer uma retrospectiva de onde é que eu falhei para isto correr mal."

Catarina acabou por ser internada para haver a expulsão e não contou a ninguém. "Foi uma fase da minha vida que me custou muito. Levas um abanão da vida. Não controlas nada afinal."