O concelho de Ovar é um dos mais afetados com o surto do novo coronavírus, tendo sido, por isso, declarado o estado de calamidade pública. Natural daquele concelho do distrito de Aveiro, Iva Lamarão acompanha à distância o que se vai passando na sua terra-natal.

Através de uma conversa telefónica com Júlia Pinheiro no programa das tardes da SIC, a apresentadora do Fama Show abriu o coração e não escondeu a preocupação com a família que vive em Ovar.

"Eu não estou em Ovar porque por questões de trabalho fui ficando por Lisboa. Também por uma questão de sensatez e por perceber que os meus pais estão numa idade de risco, achei que o melhor que faria era estar um pouco longe deles nesta altura", começou por contar, referindo que os pais e a irmã se encontram em isolamento

“Às vezes com alguma dificuldade de os convencer porque a vontade é de sair. Especialmente o meu pai, mas tenho tentado que fiquem em casa…Estão sempre a acompanhar as noticias e têm consciência de que o estado de calamidade é realmente grave". "De certeza que não foi tomado de ânimo leve. Foi tomado com a intenção de prevenir novas infeções e proteger a população e todas as gentes de Ovar, contou.

>> Funcionário d Palácio de Buckingham testa positivo à Covid-19 e o pânico instala-se <<

"A minha irmã é a única que tem saído de casa para fazer compras, com todos os cuidados e só quando é preciso algo de urgente em casa. Aquilo que a minha mãe conta é o que vê através da janela. Há muito pouca gente na rua, praticamente ninguém. As pessoas em Ovar estão mesmo a respeitar a ordem de restrição”, salientou.

"As pessoas têm receio, estão a acatar as ordens e isso dá-me alguma serenidade porque percebo que estão conscientes de que é preciso ter realmente este tipo de atitude neste momento para que estejamos todos juntos e tudo isto passe o mais rapidamente possível, confidenciou, não escondendo as saudades.

"Eu estou longe, mas sempre que era preciso eu pegava no carro e ia ter com eles, ou eles vinham ter comigo. Neste momento estamos privados disso e não sei quando é que vou poder sair daqui, de Lisboa, porque também estou em isolamento, e ir ter com eles. Temos falado por videochamada, mas não é a mesma coisa", rematou.