Diana e Isabel II

Diana e Isabel II

Julian Parker

Corria o ano de 2001 quando Isabel II decidiu juntar na sua casa de de Sandringham, a sua mãe, alguns amigos mais próximos e um sacerdote local. Razão: acreditava que o espirito de Diana estava lá. Já lá iremos.

Este segredo ficou guardado durante cerca de 18 anos e só agora foi revelado pelo jornalista já falecido Kenneth Rose num dos seus trabalhos - Who Loses, Who Wins: The Journals of Kenneth Rose, Vol II 1979-2014.

Princesa Diana surge como 'bela adormecida' em fotografia épica

Segundo os diários do jornalista, os funcionários recusavam-se a trabalhar na casa porque diziam que um dos quartos estava assombrado. Foi aí que a rainha do Reino Unido decidiu resolver o problema. Recorde-se que Diana faleceu num trágico acidente de carro, em 1997, em Paris.

Prue Penn [amiga da rainha] disse-me que em Sandringham no verão, a rainha a convidou para assistir a um pequeno culto numa das suas salas conduzida pelo pároco local", escreveu Kenneth.

“O sacerdote andou de quarto em quarto e sentiu, de facto, alguma inquietação num deles”, disse.

Apesar do espaço ter pertencido ao pai de Isabel II, o rei George VI, antes da sua morte, em 1952, o pároco sugeriu que podia ter sido assombrada pelo espírito da mãe de William e Harry.

Ele liderou um serviço no quarto, não exatamente de exorcismo, que tem a ver com eliminar um espírito do mal, mas de trazer tranquilidade. Foram feitas rezas especiais, creio que para o repouso da alma do rei que tinha morrido ali. O sacerdote disse que a atmosfera perturbadora podia dever-se à princesa Diana, já que tinha assistido a situações semelhantes, quando alguém sofria uma morte violenta“, explicou.

Mordomo de Diana: "Se ela fosse viva dava um abraço à Meghan"