José Carlos Malato

José Carlos Malato

Instagram

José Carlos Malato esteve à conversa com Tânia Ribas de Oliveira para o programa A Nossa Tarde, da RTP, e abriu por completo o seu coração. O apresentador, de 55 anos, falou sobre a sua orientação sexual e o bullying que sofreu ainda no início da adolescência quando começou a sentir-se diferente dos outros rapazes.

Depois de recordar uma “infância extraordinária”, marcada por uma grande união familiar, Malato lembrou uma adolescência difícil. “Passeio logo a partir do início do quinto ano a ser discriminado. Comecei a ser agredido verbalmente. Chamavam-me nomes como maricas ou paneleiro. Comecei a ter medo de ir à escola. Tinha vómitos quando me aproximava”, prosseguiu, referindo que tinha apenas dez anos quando começou a ser alvo de toda esta violência, essencialmente verbal.

Esta situação só começou a mudar quando ele próprio se aceitou tal como era: "Chegado à adolescência e à idade adulta eu comecei a perceber que de facto era maricas. E isso ao invés de me fazer ter vontade de fazer mal a mim próprio, eu comecei a desenvolver um certo orgulho".

Durante esta conversa intimista, José Carlos Malato contou que sempre foi muito apoiado pela família, exceto o pai, muito conservador, e a mãe, que é testemunha do Jeová. Foi, aliás, só depois da morte de António Malato, em maio de 2018, que ao apresentador de televisão assumiu publicamente o seu namoro com o fadista João Caçador, que terminou meses depois.

>> JOSÉ CARLOS MALATO: "A MINHA MÃE FOI PROIBIDA DE PRIVAR COMIGO...PORQUE SOU GAY"