Gareth Cattermole

No próximo dia 15 de outubro, Elton John vai lançar o seu primeiro livro, que é uma autobiografia. Este lançamento não é uma novidade, recorde aqui. Mas o jornal Daily Mail já teve acesso ao livro, Me: Elton John, e avançou com alguns pormenores.

Ao longo do livro o artista revela que foi toxicodependente e que manteve uma relação completamente destrutiva com a caocaína, a partir de 1974: "A cocaína converteu-me num monstro. Gostei da forma como me fez sentir. Aquele choque de confiança e euforia, a sensação de que me podia abrir, que não me sentia tímido ou intimidado, que podia conversar com qualquer pessoa. Havia algo mais na cocaína do que a maneira como me fazia sentir. A cocaína tinha algum prestígio. Estava na moda e era exclusiva. Usá-la era como tornar-me membro de uma elite que secretamente se entregava a algo perigoso e ilegal.", admitiu.

Elton John explica ainda que o consumo de drogas lhe provocou muitos problemas a nível pessoal: "Apaixonava-me por homens heterossexuais a toda a hora, perseguia o que não podia ter. Às vezes continuava durante meses a fio nessa loucura de acreditar que um dia receberia uma chamada telefónica deles a dizerem que gostavam de mim, apesar de me dizerem que isso nunca ia acontecer".