Maria Vieira e Eduardo Beauté

Maria Vieira e Eduardo Beauté

Instagram

Um dia depois de ter sido tornado pública a morte de Eduardo Beauté, através de um post feito pelo seu ex-marido, Luís Borges, nas redes sociais, Maria Vieira deixou um longo desabafo nas redes sociais a recordar o cabeleireiro, no qual lamenta que os amigos se tenham afastado quando ele mais precisava.

“Fui amiga e cliente do Eduardo Beauté durante vários anos.
A imagem que dele guardo é a de um homem gentil, educado e muito emotivo. Ele era basicamente uma pessoa boa e um dos melhores profissionais do seu ramo em Portugal. Não pensávamos exatamente da mesma forma, nem sequer gostávamos das mesmas coisas - ele apreciava os holofotes, as entrevistas e as festas sociais e eu, apesar de algumas vezes, e unicamente por razões profissionais, me ver obrigada a fazer parte desse circo, sempre evitei dele participar - mas no entanto, essas diferenças nunca foram um obstáculo ao nosso bom relacionamento ou ao respeito e ao carinho que sempre caracterizou os tempos que passámos juntos”
, começou por explicar Maria Vieira.

“Acompanhei o Eduardo quando ele se mudou do salão mais vistoso e glamoroso da Av. da Liberdade para o estabelecimento mais sóbrio e mais modesto, junto ao Hotel Ritz (os colaborares dele bem sabem que assim foi), apercebi-me da depressão e da tristeza que o consumiam e ao longo dos últimos tempos, constatei o gradual afastamento de muitos daqueles e daquelas que nas alturas mais prósperas e badaladas se faziam fotografar junto dele e se aproveitavam dos serviços que ele tantas vezes lhes prestava sem nada cobrar, e foi precisamente da boca dele que ouvi esses lamentos sobre o afastamento e o abandono de que se sentia vítima”, prosseguiu a atriz, referindo-se ao mau momento que o hairstylist atravessava depois do fim do casamento com Luís Borges, em 2016, e os problemas financeiros que o obrigaram a trocar de espaço comercial.

“ Provavelmente, muitas dessas pessoas marcarão presença no funeral dele, munidas de óculos escuros e aparentando um semblante muito abalado, farão declarações à imprensa e às TV's e as suas fotos encherão as páginas das revistas sociais. Eu não serei, definitivamente, uma dessas pessoas”, atirou ainda em jeito de crítica.

“Recebi a notícia do desaparecimento do Eduardo com incredulidade e com muita mágoa e logo pensei nas três crianças que viviam com ele, que ele educava, que ele alimentava e de quem ele cuidava; três crianças que seguramente viram, ouviram e se aperceberam das polémicas e de todas as notícias e confusões a que nenhuma criança deveria ser sujeita e confesso que o futuro desses dois meninos e dessa menina me preocupa muito. Enfim... amanhã ia telefonar ao Eduardo para ele me tratar mais uma vez do pelo mas receio que no céu não haja telefone e por isso peço apenas a Deus que o guarde junto de Si”, concluiu.

Recorde-se que, numa primeira fase, e devido ao estado depressivo em que Eduardo Beauté se encontrava, que se tratava de um suicídio. Contudo, os resultados da autópsia revelaram que o cabeleireiro dos famosos sofreu uma embolia cerebral. Tinha 52 anos e deixa três filhos: Bernardo, de nove anos, Lurdes, de sete, e Eduardo, de quatro.