Andreas Nikolaus Lauda, mais conhecido como Niki Lauda, morreu esta segunda-feira, na sua cidade-natal, Viena, rodeado da família. A notícia foi dada pelos familiares em comunicado: “É com enorme tristeza que anunciamos que o nosso querido Niki morreu em paz, rodeado pela sua família, esta segunda-feira (…) As suas realizações únicas como desportista e como empresário são e serão sempre inesquecíveis. O seu dinamismo inesgotável, a sua integridade e a sua coragem serão um modelo e uma referência para todos nós".

O antigo piloto submeteu-se a um transplante pulmonar em agosto de 2018 e uma doença respiratória que o atingiu no início deste ano, tê-lo-á deixado em estado vulnerável. Lauda também fazia hemodialise depois de ter sido submetido a transplantes de rim, em 1997 e 2005.

O ex-piloto foi campeão mundial de Fórmula 1 em 1975, 1977 e 1984 e a sua destreza ao volante tornou-o um ícone da modalidade. O seu percurso foi marcado pelo despique com James Hunt, de resto imortalizado no filme Rush – Duelo de rivais. Sobreviveu a um grave e aparatoso acidente, ao serviço da Ferrari, no Grande Prémio da Alemanha de 1976, em que sofreu extensas queimaduras que o deixaram desfigurado e obrigaram a múltiplas cirurgias. Apesar da seriedade do acidente e das mazelas, voltou rapidamente às pistas e conquistou o segundo campeonato logo na temporada seguinte (1977).

Desde que deixou as pistas, em 1985, passou pela Jaguar e foi consultor da Ferrari. Desde 2012, era diretor não executivo da Mercedes.