Graça Peralta, de 55 anos, candidatou-se ao ‘Casados à Primeira Vista’ assumidamente para encontrar o amor. A relação com José Luís, o noivo que lhe foi atribuído pelos especialistas do programa, acabou por não resultar, bem como, anteriormente, não tinha resultado o seu primeiro casamento. Contudo, Graça e o primeiro marido, Luís, mantêm até hoje uma relação muito próxima e cúmplice, que Cristina Ferreira considera um verdadeiro exemplo.

O ex-casal esteve no ‘Programa da Cristina’, onde falou sobre a sua relação e como conseguiram ultrapassar o divórcio, mas manter uma boa relação. Hoje, em perspetiva, Graça diz que “não aconselho ninguém a divorciar-se. Costumo dizer que nós mudamos de companheiros, mudamos de defeitos só”, brinca. Mais a sério, explica: “É claro que há relações que têm mesmo de terminar, mas o que eu acho é que nós temos sempre duas vias: nós podemos evoluir e crescer ao lado da pessoa; ou fazer a evolução cá fora. Na altura [do divórcio de Luís], eu não tinha maturidade suficiente para fazer essa evolução ao lado dele, mas agora até tenho muito a agradecer-lhe por nos termos divorciado porque, se não, eu não seria a mulher que sou hoje”.

Luís concorda e acrescenta: “Nós continuamos a caminhar lado a lado, só que de formas diferentes.”. Graça cita o ex-marido para justificar porque continuam na vida um do outro: “Como diz o Luís, nós temos de adicionar pessoas na nossa vida e não de subtrair. O caminho do amor é sempre mais fácil do que o caminho da crítica e da destruição.

Apesar de admitir que, neste momento, gostaria de ter alguém do seu lado, a mulher do Norte acha que a felicidade depende, em primeiro lugar, de cada um: “Nós todos nascemos com tudo cá dentro para sermos felizes, não precisamos de ninguém para sermos felizes. Mas uma coisa é certa, se tivermos uma pessoa que é mais especial do que as outras, a nossa vida se calhar em vez de ser a preto e branco passa a ser a cores”.

Veja abaixo o vídeo da entrevista.