Toy foi o convidado desta segunda-feira, 19 de novembro, do programa de Júlia Pinheiro, da SIC. O artista fez várias revelações sobre a sua vida pessoal e profissional e aproveitou, ainda, para esclarecer a polémica à volta do comentário que fez relativamente à morte da sua ex-amante.

Elisabete Silva, que em tempos foi amante de cantor, morreu recentemente, e a reação do artista à sua morte deu que falar. Em declarações à revista TV Mais, Toy afirmou: : "Todos os dias morrem pessoas. Tenho muita pena".

O comentário não caiu bem entre algumas pessoas e, por isso, o artista fez questão de esclarecer a sua reação. "Ligaram-me de uma revista a dizer que fulana assim, assim faleceu. Eu disse: ‘por acaso já sabia, mas não tenho comentário nenhum a fazer, não merece qualquer tipo de comentário. Quando uma pessoa morre temos sempre pena, é pena que tenha falecido, mas não tenho mais comentários a fazer' ", começou por dizer, acrescentado que quiseram passar a imagem de um homem insensível.

Indignado, o cantor continuou: "Magoa-me. Eu já disse a várias pessoas que eu tenho conhecido ao longo do tempo, até alguns que me prejudicaram bastante, eu disse: ‘eu até percebo, vocês ganham mal mensalmente e se tiverem uma boa história para pôr na vossa revista ou no vosso jornal, provavelmente ficam mais bem vistos com o vosso chefe e, provavelmente, aumentam-vos o ordenado e até vos dão um prémio, nesse caso aproveitem-se de mim, eu não me importo, desde que não seja demasiado grave. Demasiado grave são acusações que são inverdades", referiu.

"As pessoas vão ler aquilo e o que vão pensar? Que eu sou insensível e mau carater… Eu nunca desejei mal a ninguém, eu perdoei a indemnização, eu prestei-me a tudo aquilo que fosse necessário, mas isto ninguém diz, de uma pessoa que teve apenas um caso comigo", rematou.

Recorde-se que Elisabete Silva pediu,em 2007, que o cantor assumisse a paternidade do seu filho, Gabriel. O caso seguiu para tribunal e ficou provado, através de dois teste de ADN, que o artista não era pai da criança.