Infanta Cristina de Espanha

Infanta Cristina de Espanha

Getty Images

A vida da infanta Cristina de Espanha entrou numa espiral descendente no dia em que foram descobertos os crimes fiscais cometidos pelo marido, Iñaki Urdangarín, entre 2004 e 2006, e que o levaram a ser condenado a cinco anos e dez meses de prisão efetiva, que começou a cumprir em junho último.

Pouco depois do início do processo em tribunal, a família viu-se obrigada a trocar um palacete num exclusivo bairro de Barcelona, Espanha, por um apartamento em Genebra, Suíça, para se afastar do assédio mediático. Decorria, então, o ano de 2013 e a filha dos reis eméritos Juan Carlos e Sofía de Espanha acabou por ficar em terras helvéticas para garantir uma vida mais tranquila aos quatro filhos: Juan Valentín, de 18 anos, Pablo Nicolás, de 17, Miguel, de 16, e Irene, de 13.

E agora, apenas três meses depois de ver o marido entrar para a prisão, Cristina de Espanha vê o seu filho Pablo sair de casa. Isto porque o jovem seguiu as pisadas do pai, antigo jogador de andebol, e assinou contrato com a equipa alemã TSV Hannover Burgdof, o que o obrigou a mudar-se para a Alemanha. Na imprensa espanhola diz-se que a infanta está “desolada” por ver o filho ir viver para longe, mas ao mesmo tempo “aliviada por saber que não estará tão sujeito ao escrutínio dos media e terá uma vida mais normal”.

O jovem ficará instalado numa residência com outros colegas de equipa.

Recorde-se que Iñaki Urdangarín, antigo duque de Palma, defendeu as cores do Barcelona entre 1986 e 2000 e participou em três Jogos Olímpicos.

Pablo com o pai no verão de 2017

Pablo com o pai no verão de 2017

Getty Images