Reprodução Instagram, DR

As redes sociais estão a ser inundadas de duras críticas à mais recente publicação de Francisco Menezes. "A alegada vítima de violação. Deve ter sido uma luta titânica", escreveu esta terça-feira, 31 de agosto, o comediante na fotografia da menor que acusa o central português Rúben Semedo de violação.

O comediante está a ser arrasado por internautas e caras conhecidas que manifestaram a sua indignação da secção de comentários da imagem como é o caso de Sónia Tavares, vocalista dos The Gift. "Desculpe a intromissão, sou uma grande admiradora do seu trabalho, o que faz e o que pensa fora disso, é da sua exclusiva responsabilidade. porém, como figura pública que é, considero este post de uma agressão à mulher no geral, independentemente da alegada vítima estar ou não a falar verdade. Os seus comentários dão aso a um tão grave e violento destilar de comentários misóginos, que eu luto contra há tantos anos, que me parece absolutamente ofensivo em 2021. 'Ar de badalhoca?' A sério?", escreveu a artista.

Manuel Moreira também comentou a publicação: "A carreira de humorista falhou-te, sim, é uma chatice, mas a seguir há outras opções além de 'otário do c******'. Não desistas, abre os teus horizontes. Força, Francisco!", disse.

"Que falta de noção. Que anormal", comentou ainda Diogo Valsassina. "Really?", questionou Marta Melro, monstrando-se incrédula. "Já foste!", afirmou Jorge Corrula.

A jornalista Fernanda Câncio manifestou-se no Twitter: "Tinhamos bolsonaro a achar que insulta mulheres a dizer que ‘são feias de mais para violar’. Agora temos um Francisco qualquer a dizer q uma miúda com uma foto de biquini e um rabo redondo não pode ter sido violada. Suponho que a conclusão é a dos talibã: as mulheres nunca são violadas", escreveu.

"Dos machos cavernícolas. Já nem me lembrava desta triste figura. Diz que é humorista, mas nunca teve piada e depressa desapareceu do radar. Agora, sedento de voltar aos holofotes, perdeu a decência também. Este post é indecente e não é pela foto da alegada vítima de violação. É por este flagrante machismo que insiste em escrutinar as alegadas vítimas enquanto bate palmas a alegados agressores (neste caso um cadastrado por sequestro e ameaças de morte)", disse o jornalista Nélson Marques numa publicação no Instagram.

Entretanto, a publicação foi apagada das redes sociais.