Ana Garcia Martins

Ana Garcia Martins

Instagram

Tal como dezenas de famosos, Ana Garcia Martins não dispensa uns dias de férias todos os anos no Algarve. No seu caso, a tradição iniciou-se quando era ainda criança, até porque rumar ao sul significava também regressar às origens do pai. E é precisamente a ausência deste – morreu no início de junho – que deixa a blogger nostálgica.

A fotografia que ilustra esta publicação de Ana Garcia Martins

A fotografia que ilustra esta publicação de Ana Garcia Martins

Instagram

“Hoje o Mateus disse ‘cheira a Algarve’ e achei graça ao facto de ele já ter essa noção. O Algarve tem um cheiro diferente de todos os sítios, uma coisa que se sente mais ao fim da tarde e que é assim uma mistura de campo com mar e calor e coisas boas. Não sei explicar, mas é único e faz-me viajar no tempo. Tenho saudades do meu pai todos os dias, mas sabia que era aqui que me ia custar mais já não o ter. Porque as melhores memórias foram vividas aqui, em verões intermináveis com mergulhos na praia, passeios de bicicleta, horas sentados na rua nas noites de muito calor, petiscadas de conquilhas, tardes a ver a Volta, tantas coisas que fizeram dele o melhor pai e de mim uma sortuda. É aqui que me custa mais, porque foi aqui que ele nasceu, que os meus avós nasceram, que ele se sentia em casa, que tive uma infância estupidamente feliz, que sinto que isto é uma grande parte do que sou”, começou por escrever a autora do blogue A Pipoca Mais Doce no Instagram.

1 / 3

Instagram

2 / 3

Instagram

3 / 3

Instagram

“Houve uma altura, ali pela adolescência, em que era uma verdadeira provação passar um mês de férias num sítio onde não acontecia nada, mas agora é mesmo isso que me faz gostar de voltar, o sossego que só encontro aqui. E só queria que pudéssemos ter mais uma daquelas nossas caminhadas à beira-mar, a mão do meu pai sempre no meu ombro, para lhe dizer que o meu amor pelo Algarve vai ser exatamente como o meu amor por ele. Para sempre”, rematou ainda Ana Garcia Martins que, entretanto, já partilhou várias fotografias tiradas em Cacela Velha, aquele que, para si, “continua a ser o sítio mais bonito do mundo”.