Ana Garcia Martins e Ricardo Martins Pereira

Ana Garcia Martins e Ricardo Martins Pereira

Instagram

O fim do casamento de Ana Garcia Martins e Ricardo Martins Pereira foi anunciado pelo ex-casal no início de fevereiro. Após vários rumores, o autor do blog 'O Arrumadinho' partilhou, este domingo, dia 30 de junho, um vídeo a beijar a nova namorada, apontada como a economista e modelo de fitness Sara Veloso.

A exposição do novo romance do ex-marido da 'Pipoca Mais Doce' não parece ter sido muito bem visto aos olhos dos internautas como é o caso de uma seguidora que destaca nas redes sociais a rapidez com que Ricardo refez a sua vida. "Toda a gente tem o direito de ser feliz. Não há dúvidas em relação a isso. Mas o que leva um homem bem resolvido, pai de filhos, só ser feliz com namorada? Não conseguir ficar, por exemplo, uns anos sozinho? Porque é que os homens são tão dependentes? É por causa do sexo? Não consigo entender a necessidade de arranjar 'logo' alguém. Mesmo que tenha demorado 6,7,8,9 meses, 1 ano", começou por dizer a seguidora.

"E isto nem tem nada a ver com defender ou não a pipoca. Ela é-me indiferente. É mesmo por ti, por achar que eras homem e senhor da tua vida, independente. Sem precisar de muletas para estar na vida. A rapidez (mesmo que tenha sido 1 ano) com que refizeste a vida, mostra que não sabes estar sozinho", concluiu.

Ora, Ricardo Martins Pereira decidiu dar uma resposta ao comentário da seguidora: "Um homem dono e senhor da sua vida, como dizes, faz aquilo que bem entende com a sua vida", afirmou. "O que leva alguém, que não conhece outra pessoa, não sabe nada de nada da vida dela, não tem contexto nenhum sobre nada, a julgar ou opinar sobre as opções de vida dos outros? Já viu o que seria se eu entrasse no seu perfil e começasse a julgá-la ou a opinar sobre as suas opções de vida? Seguramente há muitas com que posso não concordar ou me identificar", acrescentou.

"Isso dá-me o direito de julgar ou opinar nas plataformas das outras pessoas? Não. Vivemos na época da ditadura da aceitação. E ainda bem. Temos de aceitar as opções dos outros e aceitar que os outros as tomam porque assim o querem fazer e porque assim entendem ser o melhor para si. Já viu o que seria eu decidir a minha vida de acordo com o que os outros acham correto ou mais indicado?", continuou.

"A Patrícia acha que eu não não deveria estar numa relação em pelo menos 1 ano. Outras pessoas acharão 6 meses. Outras 1 mês. Outras não ligam a isso. Eu faço aquilo que acho que é melhor e mais indicado para mim, independentemente da opinião dos outros, sobretudo da opinião de quem não me conhece e não sabe nada sobre a minha vida (embora ache que sim)", rematou.