Agir

Agir

Instagram

Esta segunda-feira, dia 24 de maio, uma jovem partilhou um vídeo no Twitter que levou Agir a lamentar a situação ocorrida no Jardim do Arco do Cego, em Lisboa. Trata-se de um episódio onde se pode ver a polícia a falar com duas cidadãs do sexo feminino e que, segundo a autora das imagens, tratou-se de uma situação de homofobia.

Este país, onde um homem que bate e arrasta a mulher pelo chão é ilibado, mesmo quando a juíza diz que há provas, é também o país onde se chama a polícia por um casal homossexual, de duas mulheres, estar simplesmente a existir num jardim. Enfim…, escreveu o cantor.

A jovem que filmou a situação deu alguns pormenores sobre o que terá acontecido: “Estava no Jardim do Arco do Cego, no Saldanha, com umas amigas, quando um senhor foi até ao encontro de um casal LGBTQ+ com o típico discurso de «acham bem o que estão a fazer, há aqui crianças», bla bla bla. Já aí ficámos incomodadas, mesmo não sendo nada connosco“, disse.

“Passados uns minutos, aparecem, no mínimo, nove guardas, junto do mesmo casal, a alegar que receberam muitas queixas de que elas estavam ali a ter comportamentos impróprios. Homofobia até quando?“, questionou.

DR