A produtora Lucasfilm, que pertence à gigante Disney, despediu a atriz Gina Carano que estava de regresso à terceira temporada da série The Mandalorian. Em causa estão afirmações e sua atividade nas redes sociais.

Há vários meses que circulava nas redes sociais a hashtag #FireGinaCarano, mas o pedido de despedimento da atriz tomou um novo fulgor na quarta-feira, dia 10, por duas razões: o avanço no julgamento de Donald Trump e uma nova publicação da atriz.

"Os judeus foram espancados nas ruas, não por soldados nazis, mas pelos seus vizinhos … até por crianças. Como a história é editada, a maioria das pessoas hoje não percebe que, para chegar ao ponto em que os soldados nazis puderam facilmente prender milhares de judeus, o governo primeiro fez com que seus próprios vizinhos os odiassem simplesmente por serem judeus. Como é que isso é diferente nos dias de hoje onde se julga alguém pelas suas opiniões políticas?", escreveu, acrescentando uma foto do Holocausto.

A comparação da situação atual dos republicanos (a atriz também o é) com os judeus perseguidos na Alemanha Nazi foi a gota de água para a Lucasfilm que contava com a atriz para outros projetos.

Instagram

As outras declarações polémicas

"As suas publicações nas redes sociais atacando pessoas nas suas identidades culturais e religiosas são repugnantes e inaceitáveis", disse a produtora que adiantou que não a atriz deixa de ter quaisquer projetos com a Lucasfilm. Gina Carano também deixou de ser representada pela sua agência.

Em novembro do ano passado, Gina Carano gozou com as pessoas que preferem ser tratadas por pronomes neutros, questionou a legitimidade das presidenciais americanas, desvalorizou o uso de máscaras no contexto de pandemia e mostrava o seu apoio em páginas contra o Black Lives Matter.

A sua publicação sobre o nazismo, que foi eliminada, motivou o despedimento imediato pela Disney que fez questão de especificar a razão do afastamento da atriz em comunicado, algo que por norma, não é apontado em situações controversas em Hollywood.