Dimitrios Kambouris

J. K. Rowling está novamente envolvida em polémica. Depois de ter escrito um artigo de opinião intitulado "criar um mundo mais justo, pós-Covid-19, para pessoas que menstruam", na plataforma Devex, a escritora foi duramente criticada, acusando-a de transfobia.

Em causa está o facto da autora de 'Harry Potter' ter utilizado a expressão "pessoas que menstruam", referindo que já existe uma palavra para denominar esse grupo: as mulheres. "Tenho a certeza que costumava haver um nome para essas pessoas. Alguém que me ajude. Wumben? Wimpund? Woomud? [mulheres, em português]", escreveu a escritora no Twitter.

Face às suas declarações, J. K. Rowling foi duramente criticada, especialmente pela comunidade LGBTQ, que relembrou a escritora britânica que pessoas transgénero e não-binárias também podem menstruar. "Eu sei que sabe isto porque lhe disseram várias vezes, mas os homens trans podem menstruar. Pessoas não binárias menstruam. Eu, uma mulher de 37 anos com um útero, não menstruo há uma década. As mulheres não são definidas pelo período", escreveu uma internauta.

Em resposta, a escritora britânica escreveu que estava apenas a falar da sua perspectiva. "Se o sexo não é real, a atração entre pessoas do mesmo sexo não existe. Se o sexo não é real, a realidade vivida pelas mulheres de todo o mundo é apagada", afirmou. "Conheço e adoro pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo retira a capacidade de muitos discutirem significativamente as suas vidas. Dizer a verdade não é discurso de ódio", continuou.

A atriz Katie Leung, que interpretou Cho Chang em 'Harry Potter', respondeu indirectamente à escritora através do Twitter, onde partilhou várias hiperligações de petições e organizações que apoiam pessoas transgénero.

Mike Marsland