"Ok, então estamos no meio de um tumulto", foi assim que Sharon Stone iniciou um vídeo onde se refere aos protestos antiracistas nos EUA após a morte de George Floyd. Depois a atriz de 62 pede para que os fãs não sejam "super-reativos" e sugere criar um espaço seguro nas suas casas enquanto os protestos, alguns violentos, acontecem.

E se estiver em qualquer lugar onde se sinta inseguro em sua casa, é isto que eu quero que faça. Vamos criar uma sala de pânico. Provavelmente, a aposta mais segura que tem é a sua casa de banho, porque tem talvez menos janelas ou estará mais resguardado lá. E se for esse o caso, [escolha] o lugar com o mínimo de janelas e o lugar onde se possa trancar mais", disse.

Sharon sugere ainda que que coloque alguns cobertores e almofadas caso precise de dormir no local, cobrindo também as janelas. "Se sente que [a casa] pode ser invadida ou não tem mais para onde ir, especialmente se está a tentar manter-se em quarentena, deve levar um mini-frigorifico e colocar água lá dentro e coisas que possa comer, algumas frutas ou algumas barras de proteínas e deve colocar o seu telemóvel ou carregadores de computador lá e o seu computador, um telemóvel extra”, continuou.

A atriz incentivou as pessoas que vivem em áreas onde os protestos estão a ocorrer a manterem-se seguros. “Construa um lugar seguro para si mesmo. Não entre em pânico. E se acha que vai entrar em pânico, leve qualquer medicamento ou qualquer coisa que gostaria de lá ter e prepare esse local para si e para a sua família. Não exagere, isto vai e vem como todas as coisas", rematou.

A gravação da atriz dividiu as opiniões dos internautas. Enquanto uns elogiam as palavras de Sharon, outras tecem duras criticas. "Perdeste a cabeça", escreveu um. "É a ideia mais idiota que ouvi hoje", disse outro.