Ricardo Martins Pereira foi um dos convidados de Júlia Pinheiro no programa das tardes da SIC, esta quinta-feira, 7 de outubro. Numa entrevista intimista, o jornalista recordou a infância conturbada e falou ainda sobre o recente processo de divórcio com Ana Garcia Martins, que fez correr muita tinta na imprensa nacional.

Eu acho que há um desgaste natural da relação em si, que se junta com à tal falsa compatibilidade de feitios que era muito prejudicial para mim e que me levava a anular-me muito. Ou seja, as pessoas não têm noção, mas eu tive várias conversa com a Ana sobre isso”, começou por dizer, referindo-se ao fim do casamento com a blogger.

“Ela é uma super estrela. Ela não pode falar de um momento importante da vida ou da carreira dela em que eu não estivesse ao lado dela, em que eu não me interessasse, em que eu não quisesse saber, fazer parte, em que não a estimulasse, em que não fosse atrás, em que não a espicaçasse para ela fazer melhor e diferente. Portanto, em toda a carreira dela eu estou lá e estou lá atrás a fazer esse trabalho e esse papel. Ao contrário, se calhar, não aconteceu a mesma coisa”, reforçou.

Ricardo Martins Pereira desabafou ainda sobre a relação difícil de Ana Garcia Martins com o seu filho mais velho, fruto de uma anterior relação. “Nunca foi muito fácil para a Ana, até porque era miúda, ela conheceu o meu filho mais velho com um ano. Portanto, havia ali uma oportunidade total dela criar uma relação com ele desde bebé. Eu acho que ela desperdiçou essa oportunidade, talvez por seu muito miúda. Tinha 27, 28 anos e historicamente, bastava ler o blogue dela, ela não gostava de crianças e assumia claramente isso. Tinha muita dificuldade em relacionar-se com uma criança e então fugia disso, fugia da presença dele. Se eu estava com ele, ela não estava comigo”, lamentou, explicando que é algo que o entristece enquanto pai.

O jornalista assumiu-se ainda como um homem discreto no que diz respeito à sua vida pessoal e que única vez em que falou publicamente sobre a separação foi para desmentir a notícia de que teria terminado a relação por e-mail. “Foi a única vez que eu senti a necessidade de falar sobre esse assunto, para esclarecer isso porque para mim trata-se de uma questão de caráter. Terminar um casamento de 12 anos por e-mail mexe com a credibilidade e o caráter das pessoas”, explicou

Questionado por Júlia Pinheiro sobre o podcast Separados de Fresco, onde Ana Garcia Martins fala abertamente sobre a separação, o jornalista diz não encarar o projeto como uma provocação, mas que gostava de ter tido uma conversa com a blogger.

“Acho que devíamos ter falado. Acho que ele me deveria ter dito isso. Tudo aquilo que acho sobre assuntos relacionados com a separação, eu falei diretamente com a Ana. Eu não tenho de falar publicamente nas redes sociais. As pessoas acham que não falamos, é dada essa ideia porque eu não digo nada. Eu sei que estar calado me prejudica imenso e a própria Ana disse-me isso. Muitas vezes, eu pago uma fatura demasiado elevada por não estar preocupado com o que as pessoas vão pensar, confidenciou.

Por fim Ricardo Martins Pereira falou sobre as mensagens de ódio de que foi alvo nas redes sociais devido à separação. “As pessoas têm de perceber que a partir do momento em que há uma pessoa que é super estrela e que tem quase um milhão de seguidores nas redes sociais, que está em sofrimento e que não tem nenhum problema de dizer que está em sofrimento e de mostrar recorrentemente que está em sofrimento, as pessoas juntam 2+2. ‘Ela está em sofrimento porque está em processo de separação, o bandido é o outro. Ele é que está a fazer sofrer’…Fui sempre visto por uma comunidade que a adora como o mau da fita”, rematou.

Recorde-se que o jornalista e Ana Garcia Martins têm dois filhos em comum, Mateus, de oito anos, e Benedita, de três.