Carolina Carvalho

Carolina Carvalho

Manuel Guerra

A noite deste domingo, 3 de outubro, foi de consagração para Carolina Carvalho. A atriz foi distinguida com o Globo de Ouro Revelação do Ano, um prémio atribuído pelo público. Além da jovem, estavam nomeadas na mesma categoria, a atriz Daniela Melchior, a realizadora Ana Rocha de Sousa, a cantora Bárbara Tinoco e rapper Nenny.

Os últimos dois anos foram intensos para a jovem a atriz e a nomeação aos Globos de Ouro chegou depois de ter desempenhado papeis marcantes no filme Bem Bom, na série A Generala e na novela A Serra.

“Sinto-me muito feliz porque sinceramente se eu tivesse de escolher os projetos que fiz nos últimos dois anos, eu não conseguiria escolher o que me deu mais gozo fazer. Consegui passar pelo teatro, pelas séries, pelo cinema, pela televisão, foi muita coisa. E, de repente, o prémio Revelação é o prémio indicado para dizer: ‘Ok, revelação do ano’. Não me obriga a escolher um projeto, não é uma coisa específica e é de facto um reconhecimento do público, neste caso da SIC e da Caras, ao qual dou muito valor e que me faz continuar a ter forças para trabalhar todos os dias, querer fazer mais e melhor, confidenciou-nos a atriz instantes antes da XXV Gala dos Globos de Ouro.

Foi na série A Generala, disponível na plataforma OPTO, que Carolina Carvalho se deparou com o seu maior desafio profissional até então. “Quando li o guião, a minha primeira reação foi medo, mas muita vontade de fazer. Em primeiro lugar porque era muito diferente de tudo o que já tinha feito. Não tinha nada a ver com a Carolina, fisicamente. Tive de emagrecer imenso, cabelos, a postura, o andar, tudo era diferente. Mas senti que tinha tido a minha oportunidade de ouro para mostrar, de facto, que quero muito fazer isto e que consigo ser bastante versátil. Portanto, A Generala foi um desafio gigante, foram meses em que eu, honestamente, tive sempre num outro mundo …Foi um período muito intenso, mas foi um projeto, a par com Bem Bom, dos que me deu mais prazer fazer", confessou.


Já no que diz respeito ao filme Bem Bom, sobre a girls band portuguesa dos anos 80, as Doce, Carolina Carvalho superou-se no canto e na dança.

“Quando fiz o casting para as Doce nós eramos 300/400 pessoas, era muita gente. E eu achei logo que era impossível de fazer. Portanto fiz o casting surper relaxada. ‘ Eu não canto, eu não danço. Ok, sou atriz. Mas só tenho esse bónus. Se alguém chega aqui e sabe fazer tudo, já fui’. De repente fui passando fase a fase, comecei a ter aulas de dança e de canto porque queria começar a fazer em bom. E, depois, de repente soubemos que éramos nós as quatro”, começou por contar, recordando as audições para o filme.

“É um projeto que daqui a 15 anos vou olhar e ficar sempre com um brilho nos olhos porque é um projeto muito especial e a missão que traz em si de dar valor a mulheres que fizeram parte da história da música portuguesa e que nunca foram propriamente valorizadas. E, de repente, o brilho na cara delas e os portugueses a dizerem: ‘Obrigado por terem feito isto’. Mais do que um trabalho, mais do que o trabalho de atriz, acho que foi uma missão portuguesa. Portanto, é um filme do qual eu me vou orgulhar sempre”, reforçou.

Durante a rodagem da película, a atriz contou ainda com a ajuda preciosa do namorado, David Carreira. “Obviamente, sendo a área dele, a área do canto, contei muito com a ajuda dele. Foi-me bastante útil, ajudou-me dia e noite. Foi giro, de repente estávamos os dois as trabalhar na mesma área e foi muito divertido”, confidenciou.

“Ele acompanhou isto nos últimos quatro anos e portanto, acho que ele deve estar tão nervoso como eu, mas está muito feliz. Acompanhou-me, esteve sempre ao meu lado e, por isso, se há pessoa que também tem noção de tudo aquilo que eu trabalhei e me dediquei a cada projeto, é ele”, completou.