José Cid

José Cid

Facebook

Aos 79 anos, José Cid enfrenta a dor de ver partir uma das suas irmãs, dez anos mais velha. De acordo com o músico, a sua irmã ultrapassou a infeção pelo novo coronavírus, mas acabou por não resistir às sequelas deixadas pela doença.

"A minha mãe não gostava que eu cantasse, mas gostava a minha irmã, que morreu há um mês. Minha querida mana...", começou por explicar o veterano artista durante uma conversa com Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos. “Coitadinha, não morreu com Covid-19. Ela conseguiu sair da Covid, era rija, era ribatejana, mas depois as sequelas foram muito grandes porque ela fumava. Foi uma pessoa que sempre me defendeu dos meus pais e que sempre apostou na minha poesia e nas minhas canções. Era a minha mana-mãe", acrescentou emocionado.

José Cid referiu ainda que a idade foi um fator decisivo: “Ela não acreditava na Covid-19. Era velhota, não acreditava nessas coisas. No Natal, em casa de família, algumas pessoas estavam contaminadas sem saber. Demorou um mês. É uma morte horrível”.