Isaura

Isaura

Instagram

Em fevereiro de 2020, Isaura recorreu às redes sociais para partilhar com os seus seguidores que estava a passar por um momento difícil: tinha-lhe sido diagnosticado um cancro na mama. Passado um ano e já depois de ter numa fase mais tranquila da doença, a artista faz um balanço positivo de tudo o que aprendeu neste tempo.

“Há precisamente um ano atrás partilhava uma fotografia minha deitada no sofá e de costas voltadas. Hoje e repetidamente no Dia Mundial do Cancro, venho contar-vos que estou bem, rija, com umas cicatrizes que farão parte do charme e a dar o meu melhor para viver com mais propósito. Não posso dizer que já passou, isso seria mentir; continuo a fazer alguns tratamentos de prevenção para que o Manel não decida voltar e a ser resiliente no meu dia-a-dia para conquistar o máximo de qualidade de vida possível”, começou por escrever a cantora no Instagram.

>> A LUTAR CONTRA O CANCRO, ISAURA MOSTRA-SE SEM CABELO E EMOCIONA OS FÃS

“Este ano, e esquecendo-me da pandemia, passaram-se tantas coisas que jamais me deixarão ser a versão de mim mesma antes do cancro. Mas não me tornei uma versão pior, muito pelo contrário; sou muito mais grata e feliz pela vida que tenho. Agora doem-me as articulações e os ossos quando está frio, tão depressa tenho calor como frio e tenho de comer melhor e treinar à séria para me manter em forma e saudável. Há uns anos achava que caminhar não tinha jeito nenhum e apaixonei-me pelo trekking; passei a querer (ainda mais) estar na Natureza sempre que possível. Eu que há anos que não jogava videojogos a sério tornei-me assídua no Call of Duty e jogo com colegas músicos, amigos e desconhecidos que praguejam em línguas que não entendo. Tenho ideias e projetos novos na minha cabeça, mas dou-me tempo entre o pensar e o fazer”, acrescentou ainda Isaura.

>> A LUTAR CONTRA UM CANCRO, ISAURA ANUNCIA: “FIZ A MINHA ÚLTIMA SESSÃO DE QUIMIOTERAPIA”

“Há coisas que só se aprendem quando se as vive e, como não desejo a ninguém um recreio destes, venho tentar dizer-vos que o balanço que faço um ano depois é: o cancro é um exercício de prioridades, de energia e de tempo. E esta reflexão tem sido valiosa para mim; é mesmo importante irmos reavaliando o que queremos fazer, o que nos faz feliz e em que queremos usar o nosso tempo. Estamos todos a viver por momentos peculiares e estranhos; estes são os melhores para nos conhecermos e para nos assegurarmos de que estamos no sítio certo. Obrigada a todos por continuarem desse lado”, completou em jeito de conselho.