Esta segunda-feira Dalila Carmo fez uma reflexão sobre o ano que está prestes a acabar, nas redes sociais. Um ano atípico, como o de toda a gente, mas que marca a atriz pela partida da avó e não pela Covid-19, como fez questão de sublinhar.

"2020 começou assim: De braços abertos para o mundo e para a vida. Acabar um trabalho que tanto prazer me deu e poder celebrá-lo com a sensação de dever cumprido (...) Tudo isso tem um preço. Paguei-o no início de março, no princípio da pandemia", começou por escrever na publicação que fez na sua conta de Instagram.

»DALILA CARMO: "PORQUE É QUE PORTUGAL SE ESTÁ A TORNAR AGORA NA VERGONHA DA EUROPA?"«

"Aproveitei o tempo para repensar a minha vida em função das histórias que quero contar, em função das pessoas com quem gostaria de trabalhar. Em função da liberdade que devemos todos ter no nosso trabalho, sem medo, sem necessidade de acenar para lembrar ao mundo que existimos (...) 2020 foi também o ano em que fiquei sem a minha avó quando nada o fazia prever. Não foi de covid", prosseguiu.

"Por isso para 2021 e daí em diante, é em cima do despojamento que é urgente trabalhar, mas também sobre fazer as coisas em parceria, fazer projectos de colaboração, procurar idéias e as palavras que queremos dizer. Estou livre para escolher o país onde vou morar, o canal onde vou trabalhar, o canal onde vou navegar. Não somos descartáveis. Não aceitamos prazos de validade. 2021, estou pronta!", rematou.