Durante uma conversa franca com Júlia Pinheiro, a propósito do lançamento do seu mais recente livro, Quando Eu Era Pequenina, Luísa Castel-Branco não conseguiu conter as lágrimas ao lembrar a sua infância difícil, marcada pela violência e a falta de afetos.

Além da relação distante com o pai, um homem do regime que “nunca teve qualquer gesto de amor”, a escritora falou ainda da morte da mãe, em plena pandemia. “Foi horrível”, confessou. Veja o vídeo abaixo: