Michael Tullberg

Mike Tyson ja tinha admitido o uso de drogas para uso recreativo, como cannabis e cocaína, ao longo da sua carreira na sua autobiografia, 'Undisputed Truth', que certamente iriam acusar nos testes antidopping. Então como é que o pugilista norte-americano escapava?

Durante uma entrevista para o podcast 'Hotboxin', Mike revelou que contava com a ajuda de um "pénis falso", uma espécie de prótese, para enganar os resultados dos exames. Além disso, a urina utilizada eram de familiares, como dos filhos, e até mesmo da sua ex-mulher, Monica Turner, com quem teve casado entre 1997 e 2003.

A prótese está presa a um saco que pode ser enchido com um líquido e espremido entre as coxas para esvaziar o seu conteúdo. O pugilista tinha receio que o teste antidoping acusasse que estava 'grávido'. "Uma vez estava a usar a urina da minha esposa e ela disse-me: "Querido, é melhor não esperares que eu esteja grávida ou algo assim'. E eu disse 'não, não vamos mais usar-te, vamos usar o miúdo'. Isto porque eu fiquei com medo pudesse acusar 'grávido'. Era disso que eu tinha medo!", revelou.

Recorde-se que Mike Tyson, que irá voltar aos ringues brevemente aos 54 anos, e Monica Turner têm dois filhos, Amir e Rayna.